Psicodelia Brasileira: Um Mergulho na Geração Bendita (Livro)





Autores: Aline Ridolfi Ana Paula Canestrelli Tatiana K. de Mello Dias
Escrito em 2007 como trabalho de conclusão de curso da curso na Faculdade Cásper Líbero
Saiba mais aqui

Veja playlist da psicodelia brasileira


*Colaboração da matéria: Paulo Marchetti do blog "Sete Dose de Cachaça"

Assista Paulo Rafael (guitarrista) - Entrevista #1 "Rock Made In Pernambuco (70's)"

0

Duca Belintani ao vivo (2018)

Duca Belintani e banda - Foto: Cesar Gavin

Filmado e fotografado por Cesar Gavin
Show no Sesc 24 de Maio (São Paulo / SP) em 24/02/2018

Release do show:
Com 30 anos de estrada, o guitarrista Duca Belintani lança seu sexto trabalho solo, How Long, concebido de maneira a resgatar a musicalidade, a alma, o humor, bem como, os instrumentos da história deste gênero da música negra norte americana.

Gravado na Califórnia e em São Paulo, o novo álbum traz os vocais e guitarras de Duca, com a participação de Benigno Sobral, no baixo; Ulisses da Hora, na bateria; e dos convidados Adriano Grineberg, nos teclados; Ricardo Scaff, na gaita; e Theo Werneck, no vocal e lap steel.

Para o show de lançamento, Duca preparou um grande encontro de blues, com as participações de Adriano Grineberg, Ricardo Scaff e Theo Werneck, no qual executa suas músicas  inéditas cantadas em inglês e português, assim como resgata clássicos como "Sweet Home Chicago" e "Crossroads" de Robert Johnson, e "How Long" de Leroy Carr, que leva o nome do trabalho.  Os instrumentos também embarcam na viagem pelas raízes do Blues, ao som de suas duas Cigar Box Guitars, raras no Brasil, produzidas por artesãos brasileiros que as confeccionaram usando caixas de charutos, da mesma forma como eram usadas pelos escravos nos anos 20, proporcionando uma sonoridade autêntica, remetendo à origem do gênero

Slide de Fotos

Duca Belintani ao vivo no Sesc 24 de Maio

Setlist:
00:00 - Baby, Please Don't Go
03:25 - Hey Hey
07:04 - I'm Back ( Participação de Ricardo Scaff na guitarra)
11:08 - Ma Babe, My Car And My Guitar
13:01 - Encruzilhada (Participação de Theo Werneck no violão dobro)
14:06 - Crossroads (Participação de Theo Werneck no violão dobro)
17:37 Lousiana Blues (Participação de Theo Werneck no lap steel)
21:52 - To Sabendo (Participação de Adriano Grineberg no teclado e Ricardo Scaff na gaita)
25:56 - Apresentação da banda + Going Down (Participação de Theo Werneck no violão dobro, Adriano Grineberg no teclado  e Ricardo Scaff na gaita)
31:45 - Sweet Home Chicago (Participação de Theo Werneck no violão dobro, Adriano Grineberg no teclado / voz  e Ricardo Scaff na gaita)

Músicos: 
Duca Belintani - voz, guitarras
Ulisses da Hora - bateria
Benigno Sobral - baixo
Ricardo Scaff - gaita e guitarra



Veja também:

Duca Belintani e Theo Werneck explicam guitarras e afinações usadas no Blues







Paulo Rafael (guitarrista) - Entrevista #2 "Blues de Lampião"








Entrevista com Adriano Grineberg - Lançamento de CD com Blues inspirado nas raízes africanas
0

Paula Toller - "Céu Azul" (single)

Paula Toller - Foto: divulgação

"Céu Azul" é uma regravação de uma das últimas canções que o Chorão gravou, enquanto estava à frente do Charlie Brown Jr. Esta faixa faz parte do projeto “Como Eu Quero” você regravou alguns sucessos consagrados da música popular brasileira e internacional, tanto antigos quanto contemporâneos

0

Zé Brasil - Zé Brasil (CD)

Zé Brasil e banda - Foto: Marcos Trojan


Release do disco:

O cantor e compositor Zé Brasil lança seu primeiro disco solo e explica o momento: “Posso dizer que esse é o trabalho artístico que mais me exigiu em todos os sentidos. É a realização de um sonho juvenil que se iniciou aos 15 anos. De lá pra cá gravei muita coisa que me proporcionou um sentimento de realização artística, mas nada se compara a essa proximidade da perfeição que esse disco me trouxe. Cheguei muito perto do que intencionava e superei o esperado. Meu som é único com uma mensagem espiritual e humana que sempre caracterizou a minha música. Os momentos sonoros interagem para criar uma atmosfera com estética rock/prog/pop/psicodélica brasileira e conteúdo universal”.

Zé Brasil é compositor, intérprete, músico e produtor desde 1970 com passagens pelos EUA, Reino Unido, França e Espanha.

Em 1974 fundou o Apokalypsis, que foi a revelação do rock paulistano em 1975. Desde então trabalha com a cantora Silvia Helena, sua esposa e parceira artística. Também criou vários outros grupos (Space Patrol, Delinqüentes de Saturno, UHF) com conhecidos artistas de ponta do rock brasileiro como Arnaldo Baptista (Mutantes), Edgard Scandurra (IRA), Billy Forghieri (Blitz). Também se apresentou com Gerson Conrad (ex- Secos & Molhados), Cezar de Mercês (O Terço), Pedro Baldanza (Som Nosso de Cada Dia), Marinho Testoni (Casa das Máquinas) e Oswaldo Vecchione (Made in Brazil). Sua discografia vem desde anos 70 e compreende compacto simples (Maytrea & Silvelena) 1976, CBS; faixa de LP (Billy Bond and The Jets, Argentina) 1980; EP (Brazilian Wave, Inglaterra) 1980, Pinnacle Records; LP (UHF) 1989, Natural Records; 2 músicas em coletânea (Sim São Paulo, CD) 2003, Unimar; 8 CDs com banda (Apokalypsis, Delinquentes de Saturno, UHF) 2005 a 2014, Natural Records; DVD (Apokalypsis) 2014, Natural Records e CD (Zé Brasil) 2017, Natural Records.

Dentre as apresentações mais recentes de Zé Brasil destacam-se: Celebração dos 40 Anos de Woodstock (Rio de Janeiro), Festival Caipiro Rock (Serrana), Cidadão do Mundo (São Caetano do Sul), Lollapalooza (Santo André), Centro Cultural (Embu das Artes); Studio SP, Centro Cultural São Paulo, ECA/USP, Saracura Bar/Teatro, The Wall, Livraria da Esquina, Bar Brahma, Sesc-Ipiranga, Centro de Convenções Frei Caneca, Galeria Olido, Oficina da Arte, Coletivo Galeria, Universidade Mackenzie, Santa Sede, Casa Fora do Eixo, Festa da Vila Zelina, Club Noir, Vila Teodoro, Espaço Urucum, Manifesto, Dynamite, Via Marquês, Feira da Pompéia, Espaço Som, Gillan´s Inn, Praça das Artes, Sala Olido, Teatro Martins Penna, Biblioteca Sylvia Orthof e Sesc-Belenzinho em São Paulo.


Ficha técnica do CD:

1. SEGREDO DA VIDA (Zé Brasil / Silvia Helena) 3´46”
2. BOROCOXÔ (Zé Brasil) 3’59”
3. NOVO ÉDEN (Zé Brasil) 3’23”
4. BIG BROTHER (Zé Brasil) 3’10”
5. TUDO A VER (Zé Brasil) 4’00”
6. LOUCO DE ROCK (Zé Brasil) 2’50”
7. PEREGRINO (Zé Brasil) 3’18”
8. MAYA (Zé Brasil / Silvia Helena) 3’27”
9. JÁ ERA DE AQUARIUS (Nico Queiroz / Zé Brasil) 4’43”
10. PASSARINHO ROCK AND ROLL (Zé Brasil) 3’03”
11. VICTOR (Marcos Delduque / Zé Brasil) 4´23” 

Zé Brasil (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11) voz, violão, arranjos de base e direção musical; Silvia Helena (1, 3, 5, 7, 8, 9), Andréa Barreto (3) e Armando Magliocca Jr (3) voz; Julio Manaf (3, 4, 10), Gus Soularis (1), Edu Gomes (5, 7), Paulo Bergamo (6), Renato Coppoli (2, 8), Xando Zupo (11), Cláudio Erlam (2, 4, 6, 8, 11), Zé Brasil (11) e Edgard Scandurra (9) guitarra; Jimmy Pappon (3), Adriano Grineberg (1), Tuca Camargo (9), Eduardo Aguillar (7), Cláudio Erlam (2, 4, 6, 8, 11), Akira S. (8, Amsterdam) e Billy Forghieri (5) teclados; Edu Gomes (7) violão; Renato Coppoli (1, 2), Mário Baraçal (3), Eduardo Aguillar (7), Geraldo Vieira (4), Cláudio Erlam (8, 10, 11) e Eduardo Ladessa Parada (in memoriam, 6, 9) baixo; Zé Brasil (1, 5, 7), Alexandre Barreto (3) e Rolando Castello Junior (6, 9) bateria. Arranjos: Zé Brasil ( 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) e Claúdio Erlam (8, 11). Programação de bateria: Zé Brasil e Cláudio Erlam (2, 4, 8, 10, 11). Estúdios: Diginalogo, Audio Freaks, Le Chat, Greenhouse, Expresso 1962 e Cakewalking. Técnicos: Marcos Azzella, Renato Coppoli, Cláudio Erlam, Gus Soularis e Edu Gomes. Programação de bateria: Zé Brasil e Cláudio Erlam (2, 4, 8, 10, 11). Mixagem: Cláudio Erlam (2, 4, 6, 8,10, 11) e Edu Gomes (1, 3, 5, 7, 9). Masterização: Renato Coppoli (2, 4, 6, 8, 10, 11) e Edu Gomes (1, 3, 5, 7, 9).
Fotos: Edgar Franz. Arte: Rafael Cony.
Produção artística: Zé Brasil (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11) e Cláudio Erlam (2, 4, 6, 8, 10, 11).
Produtor fonográfico: Zé Brasil ze.brasil@apokalypsis.com.br
Shows: Klaus Porlan klaus@luartti.com.br
Agradecimentos: Andréa Barreto, John Tillar, Vera Zimmermann, Moisés Santana, Bolivia & Cátia e Roosevelt Rinaldi.

0

Trinca de Ases - Gilberto Gil, Nando Reis & Gal Costa: Trinca de Ases (single)

Trinca de Ases - Foto: Divulgação

Trinca de Ases (Gilberto Gil, Nando & Gal Costa)
Single: Trinca de Ases
Multishow, 2017

0

Memórias do baterista canhoto (The Angels, The Youngsters e a Jovem Guarda - Livro



Editora Scortecci, 2016
Autor: Romir Andrade

O chamamento para a música ocorreu por volta dos 15 anos. O apelo para os tambores fez com que procurasse tirar som das panelas, da escrivaninha da sala de aula da escola, de um pequeno tamborete de couro de jogar peteca na praia (precursor do frescobol) e de um bongô. Ao chegar à bateria, por volta dos 18 anos, começaram os problemas: canhoto, tinha que tocar com os tambores e pratos em posições invertidas; não havia método de bateria para canhotos! O jeito foi criar um modo de tocar fora do comum que determinou um estilo próprio e o ajudou, como baterista da banda The Angels, a participar de mais de 130 faixas de gravações, entre elas as 40 faixas com que Roberto Carlos deflagrou o movimento da Jovem Guarda.

Esta é a história que é contada neste livro.

The Angels - "The Hully Gully"



Roberto Carlos + The Angels "Parei na Contra Mão"

0

Programa É Noize #002

André Mellado (da banda Woslom), Paulinho Heavy & Frank Blackfire - Foto: Pedro Leandro

Programa É Noize (All TV)
Apresentação: Paulinho Heavy
Data: 23/02/2018

Participações:
Felipe Machado (Viper / FM solo)
Cesar Gavin (Vitrola Verde / RockBrasileiro.Net)
Nando Machado (WikiMetal / Toyshop / For Music)
Frank Blackfire (ex-Sodom e ex-Kreator)

0

Duca Belintani e Theo Werneck explicam guitarras e afinações usadas no Blues

Duca Belintani e Theo Werneck

O Blues muitas vezes é tocado no improviso, sem ensaio, sem qualquer lei ou ordem! A história mostrou isso. Neste sábado passado presenciei um momento inusitado no show do Duca Belintani (guitarrista, cantor e compositor). Durante a participação de Theo Werneck (guitarrista, cantor e DJ) os músicos fizeram uma pausa na apresentação para explicar como são feitos os instrumentos e afinações das guitarras de Blues. Foi uma aula! E claro, no improviso!





Veja também:

Paulo Rafael (guitarrista) - Entrevista #2 "Blues de Lampião"

0

Stress ao vivo no Sesc Belenzinho (2018)

Stress - Foto: Leandro Almeida

Release do show:


O trio paraense de heavy metal faz show que marca seus 40 anos de carreira. No repertório, músicas de seus três álbuns: "Stress" (1982), "Flor Atômica" (1985) e "III" (1996).

A banda nasceu em Belém, em 1977, com três principais influências: Deep Purple, Led Zeppelin e Black Sabbath.

Em 1982, gravou um disco homônimo, considerado o primeiro disco de heavy metal do Brasil, remasterizado em 2003 em LP e CD para ser distribuído na Europa.

Em 2011, o grupo abriu o show do Iron Maiden no Pará.



Stress é:
Roosevelt "Bala" Cavalcante (baixo e vocal)
Paulo Gui (guitarra)
André Lopes Chamon (bateria)

Imagens  e fotos por Washington Santos





"Heavy Metal é Lei"



"A Tua Mãe é Moça"



"Coração de Metal"



"Jeannie"

1

Mardita - Pug & Play (EP)

Foto: divulgação

Release:

A banda mais mardita de São Paulo nasceu em 2016 de uma grande amizade, cinco amigos com vontade de fazer o que mais gostam juntos - o bom e velho rock and roll.   Um som autoral, visceral, (quase) sempre em português, que fala diretamente com aquele cara comum, do dia a dia, sobre seus problemas e desafios nas pequenas coisas. Associado à isso, a banda apresenta versões de músicas consagradas de vários estilos, mas sempre com a roupagem Mardita.

Com pouco mais de um ano de banda, o Mardita já conseguiu seus fãs, shows de casa cheia, galera cantando junto cada refrão grudendo e original. Também despontou como headliners em eventos como Saturday Rock, Rock and Roll All Night, entre outros.

Mardita lançou em 2017 seu primeiro EP “Pug & Play”, com 5 faixas, e se prepara para lançar em 2018 seu full album, “Que Dia Bão!”.

https://www.facebook.com/marditabanda
0

Paulo Marchetti - Entrevista "O Rock de Brasília de 1976 a 1986 e o livro"

Paulo Marchetti e Cesar Gavin
Programa Vitrola Verde
Direção, apresentação, roteiro, pauta e edição: Cesar Gavin
Imagens: Vitrola Verde
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Paulo Marchetti (diretor de TV e autor do livro ""Diário da Turma 1976-1986: A História do Rock de Brasília" )


Veja também:
0

Masmorra lança EP e videoclipe

Masmorra - Foto: divulgação

Masmorra, grupo paulistano, formado no final do ano de 2016 por Frank Gasparotto (ex-Kamboja) na guitarra solo; Ronaldo Martins na guitarra base; Toni Estrella na bateria;  e Airton Jr. no baixo. A proposta da banda é seguir a linha do Hard Rock, cantado em português, tendo como suas principais influências bandas como Dr. Sin, Golpe de Estado, Barão Vermelho e muitas outras do BRock.

Inicialmente o guitarrista Ronaldo Martins também assumia as vozes, mas devido a problemas nas cordas vocais, forçadamente acabou por deixar o posto, dedicando-se entre a guitarra base e aos backings.

Após diversas audições, ingressou para grupo o cantor Ricardo Peres, que assumiu o voz e a formação ficou completa.

Capa do EP


Não quero mais sentir - videoclipe

Neste mês de fevereiro, Masmorra lança seu primeiro EP com título homônimo e conta com quatro canções: “Não Quero Mais Sentir”, “Tantas Madrugadas”, “Tudo ficou pra Trás” e “Acreditar em Mim”.

Além do EP gravado, o grupo está compondo para o seu primeiro álbum full, que será gravado e lançado na sequência.

www.facebook.com/bandamasmorra




1

AI-5 - Passado, presente e futuro!

Fausto Celestino (guitarrista do AI-5) - Foto: Cesar Gavin


Formada em 1978, AI-5 é uma das primeiras bandas Punk do Brasil.

O nome AI-5 remete ao famigerado Ato Institucional Nº 5, criado pela ditadura militar e que consistia principalmente de uma medida para calar os detratores do sistema vigente.

Participou, junto com a banda Restos de Nada, do primeiro show de punk rock em São Paulo, num porão de uma padaria abandonada, no Jardim Colorado, zona leste da capital, promovido por Kid Vinil, na época radialista da rádio Excelsior.

A música mais conhecida da banda é "John Travolta", uma sátira sobre a onda disco music que imperava na época. "John Travolta" se tornou um hino cult do punk no Brasil, sendo gravada em 1995 pelo Ratos de Porão no seu álbum “Feijoada Acidente? “

A banda terminou no final de  1979, motivada pela grande dificuldade em encontrar locais para tocar, pois era repetidamente banida em função do nome, além da mudança de seu baterista para a Inglaterra. Esse nome era pesado demais para a situação do país na época, e mesmo sendo uma banda com temas diversos, tiveram muitos problemas para conseguir lugares para realizar os shows que faziam pela periferia de São Paulo. 

A VOLTA  

Toda história merece um registro  e o selo Baratos Afins tomou conhecimento do único material da banda, uma demo gravada no carnaval de 1980, meses após o fim da banda. 

Uma obra histórica, rara e pertinente da música rebelde nacional, do final dos famigerados anos 70, que o visionário Luiz Calanca disponibiliza ao público com este lançamento realizado no dia 07 de Setembro de 2017  Mas, apenas lançar o material não seria suficiente. Os acontecimentos recentes pediam a volta da banda, que ocorreu em 2017 capitaniada por um de seus fundadores, o guitarrista Fausto Celestino, que já tinha relacionamento com o sêlo por meio da banda Centúrias, onde foi guitarrista entre 1984 e 1985, tendo participado da coletânea SP Metal.

A banda voltou as atividades e fez show no Sesc Pompéia, no final de 2017.



2018 

Em 2018, comemora seus 40 anos de fundação. Vários lançamentos estão previstos para esse ano: Um série de vídeos com áudio e imagens captados no show de 40 anos de Punk, no Sesc Pompéia;  a banda lançará um single com duas músicas inéditas; e até o final deste ano, novo álbum. 

No início de 2018, a banda trocou de vocalista e a nova formação está a todo vapor.

AI-5 em 2018 - Foto: Marlos Barros


Formação atual:
Carlão Rodrigues – voz
Fausto Celestino – guitarra e vocais
Fábio Rodarte -  baixo
Marcelo Ladwig - bateria

Veja também

AI-5 - Entrevista "Cult e Anciões do Punk Rock brasileiro"
Gravada no Sesc Pompéia em 2017

0

Discobertas lança discos inéditos em CD




A Discobertas, a Som Livre e a Novodisc prosseguem o projeto muito especial iniciado em Setembro. Agora em março sai uma nova remessa, dentre as dezenas de álbuns dos catálogos da RGE e da Som Livre, inéditos em CDs remasterizados até hoje, e que estão finalmente voltando às lojas. Os envolvidos acreditam no formato físico e oferecerão, em edição limitada de 500 ou 1000 cópias, títulos dos anos 50 a 90 que nunca foram relançados nessas três décadas de exploração de catálogo em compact disc.  Enquanto a Discobertas lança, mês a mês, novos títulos mensais, a Som Livre os lançará nas plataformas digitais. Eis os títulos do quarto lote.

Leia na íntegra nota no Facebook da gravadora.


0

Thaíde - "Hip Hop Puro" (single / videoclipe)

Thaíde - Foto: divulgação


O suingue está feito! Thaide, ícone do movimento Hip Hop no Brasil, divulga novo videoclipe "Hip Hop Puro", faixa do disco "Vamo Que Vamo Que o Som Não Pode Parar", lançado em 2017.

O vídeo foi filmado no centro da cidade de São Paulo, em locais que Thaíde iniciou sua carreira nos anos 80. Participação de Nasi (Ira!), BBoy Bank, Tio Zé Carlos Botelho, Milton Sales, Jackson Styllo e Cérebro.

Ficha técnica:
Produção musical: Helio Heliobranco Barrachino
Produção: Apenas produção
Direção: Pedro Zafalon
Edição: João Karalkovas
Fotografia: Guilherme Sacon e Pedro Zafalon
Montagem :Pump Killa e João Karalkovas

0

Kamboja em estúdio!

Kamboja - Foto: divulgação

Kamboja, divulga teaser da gravação do próximo disco, o EP intitulado "Jogador". A banda ainda não divulgou a previsão de lançamento.


0

Vodu - " Voodoo Doll" (Demotape)



Vodu divulga nova demotape "Voodoo Doll" com cinco faixas inéditas e que estarão no próximo disco. O álbum sairá nos formatos digital e CD, com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2018.



Saiba mais no https://www.voduband.com/musicas



0

Marcello Schevano - "Snegs (Som Nosso de Cada Dia), o disco favorito"



Programa Vitrola Verde 
Direção, apresentação, roteiro, pauta e edição: Cesar Gavin
Imagens: Vitrola Verde
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Marcello Schevano, guitarrista das bandas Golpe de Estado, Carro Bomba, Casch, Casa das Máquinas, O Som Nosso de Cada Dia; ex-Patrulha do Espaço e produtor musical no Orra Meu Estúdios.



Neste drops, Marcello comenta o seu disco favorito do Rock Brasileiro: "Snegs" do Som Nosso de Cada Dia, lançado em 1974 pela Continental.

Produzido por Pena Schmidt





Veja também:


Marcello Schevano - Entrevista no Vitrola Verde "O guitarrista"


0

Rolando Castello Junior - 50 Anos de Bateria & Rock Ao Vivo (CD e DVD)



Álbum e DVD ao vivo, lançado em 2017, contém apresentações ao vivo do lendário baterista do Patrulha do Espaço, Rolando Castello Junior, comemorando os seus 50 anos de carreira em shows gravados em São Paulo, Curitiba e Buenos Aires na Argentina.




O baterista revisa clássicos de sua carreira tocando musicas do Patrulha do Espaço e de todas as bandas por onde passou (Inox e Aeroblus), tendo como convidados: Paulo Zinner, Ivan e Andria Busic, Alejandro Medina, Tadeu Dias, Paulo Thomaz, Rogerio Fernandes, Carlos Anhaia, Marcello Schevanno, Rodrigo Hid, Luiz Domingues, Daniel Dellelo, Marta Benévolo, Paulo Toledo, Danilo Zanite, Daniel Kid, Paloma Sneh, Gaby Roverano, Fabio Elias, Luiz Ferreira, Renato Ximú, Cláudio Souza, Rafael Marchiorato, Luciano Pico e Thiago Indisplicente.


Veja também:



Rolando Castello Junior - Entrevista #1 no Vitrola Verde - Beatles, rua Augusta e o México






0

Fabiano Negri - "The Lonely Ones" (CD)



Fabino Negri divulga novo álbum, "The Lonely Ones". O disco é totalmente acústico e trata sobre um tema muito importante, depressão. O artista afirma que teve contato com essas questões através de seus alunos de música, de amigos e familiares, e que com esse trabalho “tento resgatar a autoestima das pessoas através da música.”

Compre o álbum em pré-venda no link: www.fabianonegri.com

Ouça o primeiro single "Morning Rain"

0

Programa É Noize #001

Nando Machado, Felipe Machado, Paulinho Heavy e Cesar Gavin

Programa É Noize (All TV)
Apresentação: Paulinho Heavy
Data: 16/02/2018

Participações:
Felipe Machado (Viper / FM solo)
Cesar Gavin (Vitrola Verde / RockBrasileiro.Net)
Nando Machado (WikiMetal / Toyshop / For Music)
Rolando Castello Junior (Parulha do Espaço)
Banda Kamboja





0

Evolução do Hip-Hop no Brasil [1984 - 2017]



O canal Sampleado (You Tube) traça a trajetória do Rap no Brasil, iniciado em 1984. Trechos de videoclipes históricos como Racionais MC's, Marcelo D2, Negra Li, entre outros.

Confira!


0

Angra - "Ømni" (CD)



Ømni é o nono álbum de estúdio da banda brasileira de power metal Angra, que será lançado mundialmente em 16 de fevereiro de 2018 pela earMUSIC e em toda a Ásia pela JVC.

O álbum conta uma história e o conceito conecta todas as histórias contadas em todos os discos anteriores do Angra.

Formação:
Fabio Lione - vocal   
Rafael Bittencourt - guitarra, violão, ukulele e vocal
Marcelo Barbosa - guitarra, violão   
Felipe Andreolli - baixo   
Bruno Valverde - bateria

Participações:
Sandy (vocais)
Alissa White-Gluz (vocais)
Kiko Loureiro (guitarra

"War Horns" - Single / videoclipe

0

Autoramas - Turnê na Europa (2018)



Acompanhe a turnê européia do Autoramas pelo Facebook ou Instagram da banda


0

Kurandeiros ao vivo (Carna-Rock 2018)

Kurandeiros - Apresentação de Rogério Utrila (Stay Rock Brasil)


Local: Alkatraz Rock Bar
Data: 09/02/2018
Filmado por: Lara Pap

Kim Kehl: guitarra & voz
Carlinhos Machado: bateria & voz
Luiz Domingues: baixo
Nelson Ferraresso: orgão


0

Anselmo Carlucci (Inocentes / Fogo Cruzado) - Programa Dezgovernadoz



Programa Dezgovernadoz (Mutante Radio)
Direção e Produção: Rafael Chioccarello (Hits Perdidos)
Convidado: Anselmo Carlucci (Inocentes / Fogo Cruzado)
Data: 01/02/2018

Anselmo Carlucci - Foto: divulgação


0

Histórias da Jovem Guarda (livro)

Editora Globo, 2005
Autores: Ribeiro,Paulo Cesar / Aguillar,Antônio / Aguillar,Débora

O surgimento da Jovem Guarda, a eclosão das mudanças que marcaram o comportamento dos jovens e a incrível transformação dos costumes nos anos 1960, são o cenário em que são ambientadas as histórias de 'Histórias da Jovem Guarda'. Escrito pela jornalista Débora Aguillar e pelo escritor Paulo Cesar Ribeiro, o livro é baseado nos depoimentos de Antônio Aguillar, figura emblemática do rádio e da televisão brasileira dos anos 1960. Presente em vários momentos históricos do período, Aguillar obteve um estrondoso sucesso na Rádio Nacional com o programa 'Ritmos para a Juventude', líder de audiência em todo o país e que rendeu ao radialista a alcunha de 'timoneiro da juventude'.  Após o grande sucesso na rádio, Aguillar foi convidado a realizar uma versão do programa para a televisão na TV Paulista (atual TV Globo), onde novamente obteve grande êxito.

O passo seguinte do apresentador foi sua transferência para a TV Excelsior, onde começou apresentando 'O Show do Meio-dia', e logo em seguida, 'Festival da Juventude'. Neste momento, em 1962, Aguillar já havia se tornado o maior apresentador de programas destinados ao público jovem do país.

Através do privilegiado ponto de vista de Aguillar, o leitor pode entender melhor a personalidade dos grandes ídolos daquele período, como Erasmo Carlos, Wanderléia, Ronie Von, e de astros internacionais como Rita Pavone, Bill Halley e Seus Cometas, Brenda Lee e Neil Sedaka, que estiveram presentes em seus programas. Quanto a Roberto Carlos, há interessantes revelações, em que transparece além de seu reconhecido talento artístico, um esmerado tino para bons contratos, o que talvez ajude a explicar uma carreira que ainda permanece vitoriosa em nossos dias.  Funcionando como um excelente documento histórico para todos os que se interessam em entender a cultura de nosso país, 'Histórias da Jovem Guarda' proporciona um passeio sem precedentes pelo interior das engrenagens deste inesquecível fenômeno nacional, proporcionando revelações que superam o artefato de luz, sonho e nostalgia que envolve as lembranças daquele período.
0

Filipe Catto ao vivo no Sesc Vila Mariana (2018)

Filipe Catto - Foto: Leandro Almeida


Release do show:

Filipe Catto sobe ao palco do Sesc Vila Mariana para apresentar “O Nascimento de Vênus”, o show de lançamento do disco CATTO. Roteirizado e dirigido por Filipe, o show tem direção musical de Felipe Puperi. As apresentações acontecem dias 02, 03 e 04 de fevereiro.

O repertório é baseado no novo álbum e reúne canções como o hit “Eu Não Quero Mais”, “Lua Deserta”, “Canção de Engate”, “Arco de Luz” e também os sucessos “Saga”, “Adoração” e “Depois de Amanhã”.

“O show é um espetáculo desdobrado do disco. É uma apresentação sensorial, de luz, sombra, som e imagem. Uma verdadeira jornada pela aventura dos sentidos”, conta Filipe Catto.

Os músicos que acompanham Filipe no palco são Felipe Puperi (guitarra e synths), Michele Abu (bateria e percussão), Magno Vito (baixo) e Jojô (guitarra e synths).
Roteirizado, dirigido e estrelado por Filipe Catto
Direção Musical: Felipe Puperi
Cenário: Filipe Catto e Grissel Piguillem
Luz: Grissel Piguillem
Figurino: Isadora Gallas
Show “O Nascimento de Vênus”

Slide de Fotos: Leandro Almeida


Show - Filipe Catto - SESC Vila Mariana - 02-02-2018

Imagens do show

0

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com