Vento Motivo - Sol Entre Nuvens (EP)


Independente, 2016

Release

Vento Motivo já tem história. Já foi a guerra (Luciana Vai Pra Guerra), descobriu a pólvora e com ela explodiu a ponte (Há, Há), discutiu as questões que estão na cabeça de todos os mortais (O Bem, o Mal e a Dúvida) e viajou a bordo de um avião desertor (O Voo Do Marimbondo). Depois de quatro álbuns, o Vento Motivo lança Sol Entre Nuvens, o EP que você está prestes a conhecer.

A banda é o projeto de vida de um poeta inquieto chamado Fernando Ceah, cantor, guitarrista e compositor engajado em todos os caminhos que sua mente criativa e sua alma generosa lhe mostrem para realizar a empreitada. Um deles, tão evidente neste mini-álbum, é se cercar de gente talentosa. Após as várias mudanças de formação na trajetória, o que não é incomum para bandas independentes, temos aqui o baterista Binho, integrante desde os primórdios, quando o VM lançou seu primeiro CD, há 13 anos. Também ouvimos o baixo certeiro de Ivan Isoldi. Mas que segurança tem essa “cozinha”! E tem swing! Quem colaborou neste álbum com sua guitarra atrevida, e fez parte da banda também por uns anos, é Marcião Gonçalves – baixista no álbum anterior, inclusive, vejam só!

Sol Entre Nuvens foi gravado nos Estúdios Curumim por Luizinho Mazzei; mixado e masterizado por Lampadinha no estúdio que se chama... Casa Do Lampadinha! O fotógrafo Marco Estrella capturou entre as nuvens o Sol para a capa. As outras imagens vêm das lentes de Vanessa Anchieta. E sobre as músicas, nós vamos falar? Claro!

Você vai notar, ao ouvir este trabalho, que as melodias fluem e andam quase sempre levemente, levadas pelos arranjos que parecem conduzir as músicas com o Vento que dá nome à banda: a favor e, às vezes, contra (porque a adversidade também há de ser tema). É como se as canções tivessem sido compostas em tempo real, tal é a naturalidade com que se entrelaçam palavras, acordes, frases melódicas, batidas.

São 5 cenas. A primeira, aliás, inspirou o início desta prosa. É “Tenha Fé Na Estrada”, que tem um refrão daqueles gostosos. Pode cantar! É, se vai ouvir o Vento Motivo, pode esperar refrões de bom gosto, porque eles vêm, e vêm fácil como as melodias. Nesta e na próxima temos a participação de Rodrigo Hid no órgão Hammond. Luxo! “Um Dia Um Adeus” é coisa peculiar deles, brincadeira séria que a banda gosta de fazer: vestir uma criação de outro compositor com suas ideias, seus sotaques. A balada de Guilherme Arantes se transforma num reggae-rock que nos faz imaginar como seria se eles tocassem “Sonhos”, do Peninha. Opa! Mas eles tocam – vá a um dos shows, que vale a pena. O amor do Vento Motivo pela canção bem construída é inabalável, o que nos prova a faixa-título. E quando esta dá vez a “Arma de Brinquedo”, ouve-se um brinquedo de gente grande: o acordeon, que no dicionário é acordeom. Qualquer um deles é tocado com a maestria usual por Thadeu Romano, num arranjo que dá um toque mais brejeiro ao rock do VM. Terminamos ouvindo “Nem Tanto Ao Céu”, que põe os dois pés no estilo retrô e salta fora, desfilando altiva com uma batida vigorosa e dá a dica: “chame alguém pelo nome, só o amor é moderno”. Vamos parando por aqui, que perigas nossa prosa já estar mais longa que o EP. Está no jeito pra ouvir de novo, sempre tendo fé na estrada.

(Ricardo Alpendre)

Álbum na íntegra




Videoclipe "Tenha Fé Na Estrada"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com