terça-feira, 30 de agosto de 2016

Igor Cavalera (Sepultura) - Entrevista na MTV em 1995

Igor Cavalera - Foto: Internet

Igor Cavalera (Sepultura)
Programa: A Entrevista (MTV)
Ano: 1995




Hateen - "Passa O Tempo" (videoclipe)

Hateen - Foto: Pamela Mota

A banda Hateen divulgou o videoclipe de “Passa o Tempo”, uma das faixas do álbum “Não Vai Mais Ter Tristeza Aqui”, lançado em junho deste ano pela Hearts Bleed Blue (HBB) em parceria com a Deck. O videoclipe “Passa o Tempo” conta com a participação especial de Dani Vellocet (Mecanika), e foi filmado durante o projeto "Gravando Bandas Tour / Jornada Adobe”, um workshop ministrado pelo diretor Derick Borba, realizado em julho de 2016 e gravado no Estúdio 301 em São Paulo - SP. “A gravação durou um dia inteiro, filmamos a música toda umas cinquenta vezes em diversos ângulos e modos, para podermos ter bastante material pra montar o clipe. Eram onze duplas de alunos e cada dupla editou sua versão do clipe. Nós assistimos todos junto com eles, e discutimos os pontos fortes e fracos de cada um, e isso serviu de base para a montagem final, feita pelo Derick”, conta o vocalista Koala.


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Tati Bassi ao vivo

Foto: Mikael Art / divulgação


Tati Bassi, ex-integrante  da banda Radioativas ao vivo novo projeto solo, com músicas repletas de swing e blues, com toques de soul.

Imagens: Bolívia e Cátia Rock
Local: CC Zapata
Data: 18/08/2015

"Antes Só"




"Alma"




"Pagu" - gravação em estúdio

Zeca Baleiro - Entrevista no programa 5 Discos

Zeca Baleiro e Rodrigo Rodrigues


Autor de músicas como "Telegrama", "Samba do Approach" e "Disritmia", Zeca Baleiro é o primeiro convidado do mais novo programa da TV Gazeta, "5 Discos"

Apresentação: Rodrigo Rodrigues
Data: 19/08/2016

Blubell ao vivo no programa Cultura Livre

Blubell


Programa Cultura Livre (TV Cultura)
Apresentação: Roberta Martinelli
Data: 24/08/2016

A cantora e compositora Blubell lançando seu disco inédito: "Confissões de Camarim". Realizado através de financiamento coletivo, o novo trabalho da cantora é, nas palavras da própria Blubell, seu "disco dos sonhos". No repertório do programa tem "Vida em Vermelho", "Cosmos", "A Tardinha" e "Another Day"






Sioux 66 - O Calibre [Tributo aos Paralamas do Sucesso]



A banda paulistana de Hard Rock, Sioux 66  grava  novo single "O Calibre", um tributo aos Paralamas do Sucesso. Ouça!


 

domingo, 28 de agosto de 2016

Edgard Scandurra #3 no Vitrola Verde - "Ira! Ninguém Entende o Mod"

Edgard Scandurra e Cesar Gavin


Programa Vitrola Verde
Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Edgard Scandurra (Ira!). Nesta terceira parte, o guitarrista e compositor comenta bastidores e histórias dos principais discos do grupo Ira!

Edgard Scandurra #3 no Vitrola Verde - "Ira! Ninguém Entende o Mod"


Edgard Scandurra e Cesar Gavin

Programa Vitrola Verde
Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Edgard Scandurra (Ira!). Nesta terceira parte, o guitarrista e compositor comenta bastidores e histórias dos principais discos do grupo Ira!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

ZFG Mob - Elefante (CD)

Independente, 2016
Produzido por ZFG Mob

ZFG MOB, trio de música instrumental contemporânea formado em 2007 por Fabio Zaganin, Mario Fabre & Edu Gomes. Compositores, Zaganin, Fabre & Gomes, são influenciados pelos mais variados estilos e ritmos. Em 2009 o trio lança seu primeiro trabalho em cd, composto por 12 temas. O álbum intitulado Canastra, contém quatro composições de cada integrante, expondo gama de influências e estilos musicais variados, aliados a qualidade musical e veia autoral. Em 2016 o trio lança seu segundo álbum autoral, Elefante. Com 12 temas instrumentais sendo 4 composições de cada integrante, Elefante dá um passo a frente na proposta do trio


Nelson Triunfo - Entrevista no programa The Noite

Nelson Trinfo


Programa The Noite (SBT)
Data: 23/08/2016

Danilo recebe o embaixador do Hip-Hop no Brasil, o dançarino Nelson Triunfo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Ultraje a Rigor toca "Amapola" de Roberto Carlos

Ultraje a Rigor

Ultraje a Rigor homenageou Roberto Carlos no programa The Noite (SBT), tocando "Amapola", faixa gravada pelo "rei" em 1964.




Ouça versão original de Roberto Carlos

Filhos de Mengele - Filhos de Mengele (CD)


Deckdisc, 2016

Há 30 anos surgia o Filhos de Mengele. Para comemorar a data, a banda que influenciou a cena punk rock e hardcore brasiliense dos anos 1990, fará um show especial no Porão do Rock e finalmente lançará seu repertório completo. O CD digital “Filhos de Mengele” contém 18 faixas mais quatro demos de 1986-1987.

A formação clássica da banda conta com Paulo Marchetti (voz), Danilo Marques (guitarra), Celso Marques (baixo) e Digão (que depois formaria os Raimundos) (bateria). Em abril de 1987 Paulo Marchetti trocou Brasília por São Paulo e foi substituído por Telo. No início de 1991 apenas Celso sobrou de integrante original e, anos depois o Filhos de Mengele mudou de nome para VGB2.

Em uma reunião especial no ano de 2000 no Festival Porão do Rock, o Filhos de Mengele tocou seis músicas em 15 minutos de apresentação (que estão nesse CD digital “Filhos de Mengele”). Entre 2007 e 2012 foi gravado/mixado/masterizado no Estúdio Órbis, em Brasília, todo o repertório da banda. São 18 músicas, 14 delas com Paulo no vocal (1984-1986) e quatro com Telo (1987-1988). O nome da banda foi ideia de um amigo, já que na época a imprensa só falava do cruel médico nazista Josef Mengele, que morreu aqui no Brasil, onde morava escondido.

Saiba mais aqui no site "Sete Doses de Cachaça" por Paulo Marchetti, cantor da banda.

Álbum na íntegra



Link:

Livro: "Diário da Turma 1976-1986: A História do Rock de Brasília




O livro "Diário da Turma 1976-1986: A História do Rock de Brasília" foi relançado em 2013 (2ª Edição) com algumas novidades. Escrito pelo jornalista Paulo Marchetti que foi integrante da banda brasiliense Filhos de Mengele e diretor de vários programas nas emissoras MTV, Multishow, Cultura, Disney Channel, além de ter dirigido o  DVD "Acústico MTV Legião Urbana".

Link:

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Kisser Clan ao vivo no programa Todo Seu



Andreas Kisser (guitarrista do Sepultura) e seu filho Yohan da banda Kisser Clan, tocaram no programa Todo Seu (TV Gazeta), apresentado por Ronnie Von
Data: 12/08/2016

Tianastácia ao vivo no Showlivre

Tianastácia - Foto: Divulgação / Reprodução do site oficial

Programa Estúdio Showlivre
Apresentação: Clemente Nascimento
Data:19/08/2016


segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Livro: Jovem Guarda - Em Ritmo de Aventura


Editora 34, 2000
Autor: Marcelo Fróes


O autor Marcelo Fróes comenta no programa Vitrola Verde sobre o livro.
Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)
Data: 2014




Links:

Documentário: "Os Portais Do Inferno Se Abrem: A História do Vulcano"


A Just Design, juntamente a Blue Screen Of Death Filmes lançaram o documentário retratando detalhes sobre a lendária banda Vulcano, intitulado de “Os portais do Inferno se abrem: A história do Vulcano” que conta com a direção e produção de Bruna Quevedo, Rodiney Assunção e o renomado Wladimyr Cruz que também dirigiu os famosos documentários "Woodstock - Mais Que Uma Loja..." sobre a loja Woodstock Discos e o documentário "Uma Nova Onda De Liberdade", sobre a casa noturna Madame Satã.

Trailer




domingo, 21 de agosto de 2016

Caça Níqueis ao vivo Maavah

Caça Níqueis - Foto: Bolívia e Cátia Rock


Caça Níqueis ao vivo no Maavah - São Paulo - SP
Data: 3/08/2016
Imagens por Bolívia e Cátia Rock

"Pare de me Perguntar"




"Rabo Duro"




"120-100-160"

Frank Jorge - Escorrega Mil Vai Três Sobra Sete (CD)


180 Selo Fonográfico, 2016
Produzido por Alexandre Birck e Frank Jorge

Release
Como já é de hábito, um disco de Frank Jorge não é apenas um disco. É uma festa para os sentidos. Agora a festa que ele promove com Escorrega Mil Vai Três Sobra Sete ultrapassa os limites que ele próprio nunca estabeleceu – por mais que alguns tenham tentado limitá-lo ao escaninho de herdeiro inesgotável do legado da Jovem Guarda. Em Escorrega Mil, a primeira surpresa para os ouvidos é ver que os últimos anos parecem ter adicionado novos elementos aos ouvidos igualmente atentos de Frank. Ainda há – e provavelmente nunca vai deixar de haver – insinuações robertianas nas novas canções de Frank. Evidente também, no entanto, que a música do cara conhecido tanto pelo seu trabalho solo quanto como a obra de Graforréia Xilarmônica – que tem no título de seu novo disco uma expressão que mescla memórias interioranas com piadas internas da estrada do rock – está mais encorpada por guitarras mais contundentes. Distorções e microfonias remetem a sonoridades contemporâneas enquanto algumas seções rítmicas de baixo e bateria podem suscitar as melhores influências de coisas dos anos 80 como Talking Heads, por exemplo.

A audição de Escorrega Mil pode ser comparada à degustação de bons vinhos. Às vezes você se surpreende com detalhes de timbres e nuances instrumentais que perduram no fundo do ouvido assim como o sabor de um vinho de qualidade permanece grudado no fundo da garganta. Escorrega Mil revela um Frank mais adulto – o que não é sinônimo de chatice como se vê em certos artistas que forçam uma maturação em suas obras. A maturidade de Frank vem na medida certa, vem expressa na preocupação com detalhes de produção muito bem cuidada e na execução exemplar das canções. Desde as guitarras “sujas” de Não é Tão Real, a excelente abertura de Escorrega Mil, até a sonoridade Byrds relida pelos olhos e ouvidos do presente na derradeira Até o Sol Aparecer, o novo rebento solo de Frank Jorge agrada ao paladar e harmoniza com qualquer ambiente. Se você ainda acredita em discos conceituais saiba que ao ouvir Escorrega Mil você estará diante um autêntico exemplar do gênero.

Sem perder a mão do pop, Escorrega Mil estende as mãos em outras direções e mostra um Frank Jorge surpreendentemente agradável nessa coleção de canções que ao final da audição nos deixam sempre querendo ouvir tudo de novo. Talvez por isso mesmo eu tenha escrito essas mal traçadas linhas com Escorrega Mil rodando incessantemente no modo repeat do aparelhinho aqui à minha frente. Fica o desafio e duvido você desgrudar também. Porque com Escorrega Mil não sobra pra ninguém.

FRANK JORGE: VOZES, BAIXO, VIOLÃO E GUITARRA
FELIPE ROTTA: GUITARRA
ALEXANDRE BIRCK: BATERIA E GUITARRA
BRUNO ALCALDE: GUITARRA
RÉGIS SAM: BAIXO
FRANCISCO SANTOS: BAIXO
VANESSA LONGONI E DANIEL TESSLER: VOZ
PRODUZIDO POR ALEXANDRE BIRCK E FRANK JORGE
GRAVADO NO ESTÚDIO MUSIC BOX (2014 A 2016) POR ALEXANDRE BIRCK, EXCETO "O VIAJANTE" GRAVADO POR ALEXANDRE BIRCK E NAUM GALLO TODAS AS COMPOSIÇÕES DE AUTORIA DE FRANK JORGE EXCETO “TURMA 8” DE FRANK JORGE E ANDRIO MAQUENZ

Faixa "Não é tão real"

sábado, 20 de agosto de 2016

Edgard Scandurra #2 no Vitrola Verde - "Poder, sorriso, fama no Rock brasileiro (1984 )"

Edgard Scandurra e Cesar Gavin - Foto: Marcelo Panda


Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Edgard Scandurra (Ira!). Nesta segunda parte, o guitarrista e compositor comenta as suas passagens pelas bandas Ultraje a Rigor, Smack, Mercenárias, Gang 90 & Absurdettes, Maluf 111 e Cabine C.

A conversa culmina na cena underground em São Paulo no ano de 1984, com a chegada das bandas de Brasilia e Rio de Janeiro.

Com a sucesso das bandas já no ano de 1987, desentendimentos são corriqueiros. Saiba mais.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Rogério Duprat - Brazilian Nuggets

Rogério Duprat - Foto: divulgação


Programa do blog Brazilian Nuggets em homenagem a Rogério Duprat. Download do áudio no blog: brnuggets.blogspot.com

Duprat foi um compositor, arranjador e maestro brasileiro.Um dos maiores responsáveis pela ascensão da Tropicália, personalizando o som do então emergente movimento musical com arranjos bem elaborados, criativos e perfeitamente antenados com as tendências internacionais da época.

A intenção do maestro era romper com as barreiras entre a música erudita e a música popular. Duprat arranjou canções de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Os Mutantes, Gal Costa e Nara Leão, entre outros. O maestro ficou conhecido como o "George Martin" da Tropicália.

Nos anos 70, Duprat trabalhou com Walter Franco e o grupo O Terço. Também deixou registrada sua marca em arranjos de discos da disco music nacional, em especial em álbuns do grupo carioca As Frenéticas

Ego Kill Talent ao vivo no AudioArena

Ego Kill Talent - Foto: divulgação

Programa AudioArena
Data: 12/08/2016

Formação
Jean Dolabella - bateria / guitarra / baixo
Raphael Miranda - bateria / baixo / guitarra
Estevam Romera - guitarra / baixo
Theo van der Loo - guitarra/Baixo
Jonathan Correa - vocal

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Paulo Ricardo no Veja Música

Sérgio Martins e Paulo Ricardo

Programa Veja Música
Apresentação: Sergio Martins
Data: 16/08/2016

Paulo Ricardo comenta sobre RPM, a carreira solo e o lançamento do disco intitulado "Novo Álbum.


Cachorro Grande no programa The Noite


Cachorro Grande

Programa The Noite (SBT)
Data: 15/08/2016

A banda Cachorro Grande comenta o lançamento do novo álbum "Electromod"

Entrevista




Musical

Kamboja anuncia nova gravadora para próximo disco



A banda Kamboja acaba de divulgar vídeo, anunciando lançamento do próximo disco "Até o Freio Estourar" pela Baratos Afins. Com direção artística de Luiz Calanca, a loja / gravadora colocou no mercado álbuns fantásticos do Rock brasileiro das bandas Smack, As Mercenárias, Golpe de Estado, Voluntários da Pátria, Fellini, entre outros.


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Vento Motivo - Entrevista no Rock City

Vento Motivo - Divulgação / reprodução do site oficial


Programa Rock City
Direção: Jura Roberto
Data: 13/0//2016

Os integrantes Fernando Ceah (voz e guitarra) e Binho (bateria) do Vento Motivo comentam a formação da banda e a influência do Rock brasileiro nas composições.


domingo, 14 de agosto de 2016

Ritchie & Black Tie - Old Friends (The Songs Of Paul Simon)


Tratore, 2015

O repertório conta com músicas de Paul Simon, como “Mrs. Robinson”, “The Sound of Silence” e “Still Crazy After All These Years”, que ganham uma versão acústico-camerística-popular e contam com arranjos de Fabio Tagliaferri (que também responde pela direção musical do espetáculo).“Não tem bateria nem percussão”, conta Fabio Tagliaferri. “É um jeito camerístico, mas popular, de tocar Paul Simon [...] O barato é que nós ‘suingamos’ nos instrumentos de cordas [como viola e violoncelo]. A música do Simon é tão genial que com qualquer um deles [instrumentos] soa legal [...] E o Tuco Marcondes tem toda essa linguagem pop. O violão dele é o centro das coisas”, diz.O grupo Blacktie – retorno dos músicos Mario Manga e Fabio Tagliaferri, remanescentes do trio Música Ligeira [formado na década de 1990 por Manga, Tagliaferri e Rodrigo Rodrigues e que chegou ao fim em 2005, com o falecimento do último] –, em parceria com Swami Jr., faz novos arranjos e versões para música em língua estrangeira, sempre convidando um intérprete para participar do projeto.“Nós fizemos um primeiro disco com a Blubell [...] e agora convidamos o Ritchie para fazer Paul Simon”, explica Fabio Tagliaferri. O músico revela ainda que o grupo já está trabalhando em um novo projeto, que contará com músicas de Elvis Presley e será gravado com a cantora Ana Deriggi. “Ela é uma profunda conhecedora de Elvis".

Entrevista sobre o álbum

Livro - "Maria Bethânia Guerreira Guerrilha"


Autor: Reynaldo Jardim
Editora: Mobile / Debê Produções
Ano da edição original: 1968
Ano da reedição: 2011

Resenha: Este livro trata-se de um poema, concebido pelo seu autor como uma polifonia coral acompanhada de tambores. Segundo ele, o livro é uma ode heroica, um poema polifônico, com um trabalho tipográfico de rara beleza. Em sua nova edição, traz, além do poema, uma pesquisa da recepção crítica de 'Maria Bethânia Guerreira Guerrilha'. A última seção do livro reúne artigos publicados nos anos 1960.

Depoimento de Reynaldo Jardim sobre o livro "Maria Bethânia Guerreira Guerrilha", publicado originalmente em 1968, censurado e confiscado.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

A Punk Rock discos por Fabio (Olho Seco)

Fabião


Entrevista com Fabião, vocalista do Olho Seco e fundador da Punk Rock discos, a loja e a gravadora. Reportagem e edição: Renato Oguma, realizada em 31/10/2005.


Parte 1



Parte 2 




Parte 3




Link: Saiba mais sobre a Punk Rock discos - matéria do jornalista Barbieri

Neusinha Brizola – Sem Mintchura (Livro)


Editora Interface Olympus, 2014
Escrito pelo jornalista Lucas Nobre e pelo escritor Fábio Fabrício Fabretti. A obra foi feita com autorização e ajuda da própria personagem.

Resenha: “Neusinha Brizola sem mintchura” (Ed. Interface Olympus) conta detalhes ainda desconhecidos de uma existência tumultuada, frequentemente exposta ao público – o vício em bebidas e drogas, a fuga com o namorado, aos 14 anos, as fotos para a Playboy, os romances rumorosos com jogadores de futebol, mafiosos e cantores e, não menos importante, a relação com o pai, Leonel Brizola, que, certa vez, desabafou: “É maravilhoso e também um inferno ser pai de Neusinha”. Para completar, textos de Paulo Coelho, Lucinha Araújo e Nelson Motta, que ajudam a reconstruir a história de uma das mais polêmicas cariocas

Entrevista com os escritores

Kamboja - Loco-motiva (videoclipe)

Kamboja - Foto: divulgação


"Loco-motiva", novo single e novo videoclipe da banda paulistana de Hard Rock. O álbum "Até o Freio Estourar está em fase de finalização e deve ser lançado em 2016.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Edgard Scandurra no Vitrola Verde - Parte 1: "Punk Rock e New Wave, um tempo pra se rebelar"


Programa Vitrola Verde
Direção, apresentação, roteiro, pauta e edição: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)


Convidado: Edgard Scandurra (Ira!). Nesta primeira parte, o guitarrista e compositor comenta as influências na adolescência e a formação das bandas Subúrbio o Ira.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Nasi no programa The Noite



Nasi no programa The Noite (SBT) comenta a carreira solo e os novos projetos com o grupo Ira.

Data: 08/08/2016

Entrevista




Musical com Nasi + Ultraje a Rigor

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Metrô - Olhar (CD - edição comemorativa)


Sony Music, 2016

Com mais de 30 anos de carreira, Metrô, uma das maiores bandas Pop dos anos 80, teve o lançamento da Edição Comemorativa de seu disco de estreia “Olhar”, um dos discos de maior sucesso fonográfico dos anos 80. Recorde de execuções nas rádios de todo Brasil com vários hits como “Beat Acelerado”, “Sândalo de Dândi”, “Tudo Pode Mudar,” “Johnny Love”, Ti Ti Ti, entre outros, Olhar continua nas ràdios, tvs e principalmente no coração de todos.

"Olhar" -videoclipe de 1984

Músicas que falam de morte e mortos-vivos - Programa Hora da Distorção

Hipopótamo - reprodução do Hora da Distorção

Hora da Distorção é um programa de rádio para a Internet gravado no Estúdio Aurora, e apresentado pelo jornalista Carlos Eduardo Freitas.

Nesta nona edição, o programa entrega antecipadamente uma das bandas mais bacanas que surgiram e desapareceram neste ano, a Hipopótamo, de São Paulo. Formada por Pedro Gesualdi (Japanese Bondage, Danger City, HEBE – vocais e guitarra), Lucas Lippaus (Herod – guitarra), Lucas "Puga" Mello (Pousatigres – baixo) e Zé Menezes (Thrills and the Chase – bateria), o quarteto gravou um EP ainda inédito no estúdio Family Mob, no projeto Rubber Tracks, fez um único show em julho na Associação Cecília e encerrou suas atividades. Num exercício de magia negra, conseguimos ressuscitar a banda e registrar uma segunda e última exibição. Os quatro explicam, na entrevista, o conceito da banda póstuma e falam de suas outras bandas. Além da Hipopótamo, ouvimos também músicas que falam de morte e mortos-vivos, como Kães Vadius, Water Rats, Soviet Army Republic, Sick Sick Sinners, O'Seis e Zumbis do Espaço.


Documentário "MPB nos Tempos da Ditadura"

Caetano Veloso e Gilberto Gil - Foto: Internet

O Programa Ensaio preparou em 2004 uma edição especial denominada ” A MPB dos Tempos da Repressão”, que reunia grandes personalidades da Música Popular Brasileira, que estiveram fortemente ligadas à luta contra a ditadura militar instaurada no Brasil. Chico Buarque, Caetano Veloso, Théo Barros, Carlos Lyra, Maria Bethânia, João do Vale e Zé Ketti compõem o elenco convidado para essa edição especial, feita em 4 blocos. Durante a ditadura esses artistas passavam, por meio de suas composições, mensagens de liberdade política que não agradavam os militares. Por esse motivo, muitas canções foram barradas pela censura. O programa é marcado pela interpretação de músicas que possuem alto teor crítico e político.


Sérgio Sampaio - Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua


Philips / Polygram, 1973
Arranjos: Raul Seixas, Zé Roberto e Sérgio Sampaio
Participação: Wilson das Neves (bateria)

Álbum na íntegra

domingo, 7 de agosto de 2016

ZFG Mob - Canastra (CD)


Independente, 2009
Produzido por ZFG Mob

Formação:
Fabio Zaganin: baixo
Mario Fabre: bateria
Edu Gomes: guitarra

ZFG MOB, trio de música instrumental contemporânea com influencias pelos mais variados estilos e ritmos.

Em 2009 o trio lançou seu primeiro trabalho em cd, composto por 12 temas. O álbum intitulado Canastra, contém quatro composições de cada integrante com estilos musicais variados, aliados a qualidade musical e veia autoral.

sábado, 6 de agosto de 2016

João Barone (Paralamas do Sucesso) no Veja Musica

João Barone - Foto: Camila Maia/ divulgação


Programa Veja Musica
Apresentação: Sergio Martins
Data: 09/06/2016

Nesta entrevista, João Barone, baterista dos Paralamas do Sucesso comenta sobre o lançamento do seu livro "1942: O Brasil e sua Guerra Quase Desconhecida" em que ele revela e analisa a participação do Brasil no conflito que sangrou o mundo

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Big Balls - Vol.I


Warner, 1996

Paulo de Tharso  (ex-A Casa Caiu) - vocais
Xando Zupo - (ex-Pedra, ex-Patrulha do Espaço e ex-Harppia) - guitarra
Pedro Crispi (Alcatraz) - baixo
Alex Soares (ex-Pedra) - bateria

Saiba mais no: http://www.xandozupo.com.br/

Vento Motivo - Sol Entre Nuvens (EP)


Independente, 2016

Release

Vento Motivo já tem história. Já foi a guerra (Luciana Vai Pra Guerra), descobriu a pólvora e com ela explodiu a ponte (Há, Há), discutiu as questões que estão na cabeça de todos os mortais (O Bem, o Mal e a Dúvida) e viajou a bordo de um avião desertor (O Voo Do Marimbondo). Depois de quatro álbuns, o Vento Motivo lança Sol Entre Nuvens, o EP que você está prestes a conhecer.

A banda é o projeto de vida de um poeta inquieto chamado Fernando Ceah, cantor, guitarrista e compositor engajado em todos os caminhos que sua mente criativa e sua alma generosa lhe mostrem para realizar a empreitada. Um deles, tão evidente neste mini-álbum, é se cercar de gente talentosa. Após as várias mudanças de formação na trajetória, o que não é incomum para bandas independentes, temos aqui o baterista Binho, integrante desde os primórdios, quando o VM lançou seu primeiro CD, há 13 anos. Também ouvimos o baixo certeiro de Ivan Isoldi. Mas que segurança tem essa “cozinha”! E tem swing! Quem colaborou neste álbum com sua guitarra atrevida, e fez parte da banda também por uns anos, é Marcião Gonçalves – baixista no álbum anterior, inclusive, vejam só!

Sol Entre Nuvens foi gravado nos Estúdios Curumim por Luizinho Mazzei; mixado e masterizado por Lampadinha no estúdio que se chama... Casa Do Lampadinha! O fotógrafo Marco Estrella capturou entre as nuvens o Sol para a capa. As outras imagens vêm das lentes de Vanessa Anchieta. E sobre as músicas, nós vamos falar? Claro!

Você vai notar, ao ouvir este trabalho, que as melodias fluem e andam quase sempre levemente, levadas pelos arranjos que parecem conduzir as músicas com o Vento que dá nome à banda: a favor e, às vezes, contra (porque a adversidade também há de ser tema). É como se as canções tivessem sido compostas em tempo real, tal é a naturalidade com que se entrelaçam palavras, acordes, frases melódicas, batidas.

São 5 cenas. A primeira, aliás, inspirou o início desta prosa. É “Tenha Fé Na Estrada”, que tem um refrão daqueles gostosos. Pode cantar! É, se vai ouvir o Vento Motivo, pode esperar refrões de bom gosto, porque eles vêm, e vêm fácil como as melodias. Nesta e na próxima temos a participação de Rodrigo Hid no órgão Hammond. Luxo! “Um Dia Um Adeus” é coisa peculiar deles, brincadeira séria que a banda gosta de fazer: vestir uma criação de outro compositor com suas ideias, seus sotaques. A balada de Guilherme Arantes se transforma num reggae-rock que nos faz imaginar como seria se eles tocassem “Sonhos”, do Peninha. Opa! Mas eles tocam – vá a um dos shows, que vale a pena. O amor do Vento Motivo pela canção bem construída é inabalável, o que nos prova a faixa-título. E quando esta dá vez a “Arma de Brinquedo”, ouve-se um brinquedo de gente grande: o acordeon, que no dicionário é acordeom. Qualquer um deles é tocado com a maestria usual por Thadeu Romano, num arranjo que dá um toque mais brejeiro ao rock do VM. Terminamos ouvindo “Nem Tanto Ao Céu”, que põe os dois pés no estilo retrô e salta fora, desfilando altiva com uma batida vigorosa e dá a dica: “chame alguém pelo nome, só o amor é moderno”. Vamos parando por aqui, que perigas nossa prosa já estar mais longa que o EP. Está no jeito pra ouvir de novo, sempre tendo fé na estrada.

(Ricardo Alpendre)

Álbum na íntegra




Videoclipe "Tenha Fé Na Estrada"

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Guto Goffi & O Bando do Bem - Bem (CD)


Independente, 2016
Produzido por Guto Goffi

Fundador do grupo de rock brasileiro Barão Vermelho (1981), Guto Goffi atuou na produção e criação de 16 CD's lançados no Brasil e no exterior. Conquistou diversos discos de ouro (100 mil cópias vendidas) e de platina (250 mil cópias vendidas), certificados pela Associação Brasileira de Produtores de Discos.

Após "Alimentar", seu primeiro trabalho solo lançado em 2012, o baterista Guto Goffi volta em grande estilo com um novo álbum: "Bem". ​A turnê está prevista para o primeiro semestre de 2016. ​O Bando do Bem traz, além de Guto Goffi na bateria: - Voz: Yumi Park; - Vocais: Bruno Mendes; - Baixo: Markus Britto; - Guitarra: Lula Washington; - Percussão: César Brunet e Peninha (companheiro de Guto no Barão). ​​

Making of do disco

Bittencourt Project ao vivo no Audio Arena

Rafael Bittencourt - Foto: divulgação


Bittencourt Project é um projeto paralelo criado por Rafael Bittencourt, fundador e guitarrista do Angra.

Programa Audio Arena (web)
Ano: 2016

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Produção de Rock em São Paulo - Programa Talk Show

Gigi Jardim no programa Talk Show


Programa Talk Show (Flix TV)
Apresentação: Celia Coev
Ano: 2016
Entrevista com Gig Jardim (produtora da banda Made In Brazil e agitadora Cultural do "Quem Sabe, Faz Autoral" e Fabrício Ravelli, músico, produtor e idealizador do "Rock na Praça", entre outros proejtos


O Outro Lado do Disco - Documentário



O Outro Lado do Disco
Canal Brasil
Ano: 2015

Série produzida por Rodrigo Lariú resgata a história de bandas e gravadoras independentes do Brasil, que percorre o início da indústria fonográfica até a chegada de gigantes como Continental e Eldorado.


Série na íntegra: http://bit.ly/ladoDISCO


A gravadora Midsummer Madness - Rádio Zine



Midsummer Madness é uma gravadora independente com sede no Rio de Janeiro . O selo começou em 1989 como um fanzine. Saiba mais aqui.

Programa Rádio Zine (Rádio Faap)
Apresentado por Mariângela Carvalho
Entrevista com Rodrigo Lariú. proprietário do Midsummer Madness.
Ano: 2014