quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Lixomania - O Fim do Mundo, Enfim!



Radar Records, 2014

Release:

O grupo foi formado em 1979 influenciado por bandas como Sex Pistols, Ramones, The Clash, Stiff Little Fingers, UK Subs, Dead Boys, Sham 69 e Lurkers.

Em 1982, o Lixomania gravou o EP triplo Violência e Sobrevivência e foi o primeiro disco individual de uma banda punk no Brasil, lançado poucos meses depois do pioneiro Grito Suburbano.

O grupo participou do lendário festival “O Começo do Fim do Mundo”, no Sesc Pompéia, em 1982, e no mesmo período apresentou-se no programa Fábrica do Som, da TV Cultura.

Em março de 1983 a banda resolveu encerrar suas atividades. Em outubro de 2002, o grupo voltou à ativa com sua formação clássica (Moreno, Tikinho, Adá e Miro) como convidado do festival O Fim do Mundo, realizado no Tendal da Lapa, zona oeste de São Paulo.

Em 2004, a banda voltou ao estúdio para regravar três músicas: "OMR (Ódio, Medo e Revolta)", "Quero ser Livre" e "PPP (Pare para Pensar)".

Em 2005, gravaram outras 15 músicas e lançaram o álbum Não, Obrigado!, que inclui 12 músicas inéditas mais as regravações do primeiro

EP. Em 2012 a banda participou do festival "O Fim do Mundo, Enfim". O registro deste show está neste CD Ao Vivo, distribuido pela Radar Records, com a participação de Ariel (Invasóres de Cérebros) e Barata (DZK).

Formação do Lixomania:
Moreno (Vocalista)
Rogério Martins (Guitarra)
Miro de Melo (Bateria)
Luiz Cecílio (Baixo)

Álbum na íntegra

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Modulares - Na Contramão!


Independente, 2008

Primeiro trabalho lançado pelo grupo paulistano, influenciado por sonoridades vindas do Powerpop, The Jam, toda a cena Mod Revival Britânica dos 80’s, o R&B e as garage-bands dos 60’s.


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

OzDois - OzDois


EP
Independente, 2014
Produzido, mixado e masterizado por OzDois
Arte da capa: Ricardo Junior


Energia e atitude são assinaturas na sonoridade do OzDois. Múltiplos efeitos nos riffs do contrabaixo, somados às diferentes batidas de bateria e aos vocais marcantes, trazem um frescor para a sonoridade do rock brasileiro da atualidade.

O duo OzDois surgiu em 2012 quando dois jovens e ao mesmo tempo experientes músicos, nascidos em diferentes Estados - São Paulo e Goiás-, multi instrumentistas, cantores e compositores com mais de 20 anos de carreira cada, perceberam que juntos demonstravam um entrosamento sonoro especial. Fernando e Ricardo já tinham tocado juntos em diversos projetos como músicos acompanhantes, ao lado de artistas e bandas consagradas da música nacional. Em abril de 2015 gravaram o videoclipe de Cinza e Brasa, single do primeiro EP e em julho de 2016 lançarão o primeiro álbum completo.

De Beatles, Queen, Little Richard, à Gentle Giant, King Crimson, Crusis, Frank Zappa e Jimi Hendrix; de Joelho de Porco, Casa das Maquinas, Ultraje a Rigor, Os Incríveis, aos Novos Baianos, Mutantes, Itamar Assumpção: as influências musicais estão refletidas no som marcante deste duo.

Músicos:

Ricardo Junior, nascido em Goiânia começou a carreira ainda criança. Fez parte do grupo “BitKids” – banda infantil que interpretava versões dos Beatles. O projeto foi lançado pela gravadora Universal Music, sucesso na época. Interpretou Paul McCartney no musical Beatles 4ever durante 10 anos tocando como canhoto (Ricardo é ambidestro). É músico (Backing Vocal) da banda Ultraje a Rigor desde 2003, realizou shows (no contrabaixo) com o vocalista da banda Joelho de Porco (Prospero Albanese). Ricardo é o único endorse da "Hofner Guitars" (mesma marca do baixo de Paul McCartney) da América Latina.

Fernando Thomaz traz no sangue o DNA artístico de família, é sobrinho dos bateristas Netinho – da banda Os Incríveis, e de Marinho Thomaz – do Casa das Máquinas. Sua versatilidade impressiona, a energia no palco contagia. É baterista de músicos consagrados como o pernambucano Ortinho e de Willy Verdaguer, além de integrar as bandas Martinez e Strombólica, com quem desenvolve um projeto para os pequenos.

"Cinza e Brasa"




"Avesso"

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

V Project ao vivo na Woodstock Discos



V Project é uma banda do baterista Sergio Facci (Vodu, ex-Viper, ex-Volkana e Fenícios). Facci regrava clássicos das banda de heavy metal em que passou e gravou discos emblemáticos do rock brasileiro

Show ao vivo na Woodstock discos (13/12/2014)

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Entrevista com o cantor Nasi (Ira!), o Wolverine do Rock brasileiro


Por Cesar Gavin

História é o que não falta. Uma mudança de comportamento.

Em 1982, eu ainda era um garoto, que ouvia Kiss e ACDC quando conheci o Nasi. Na época, meu irmão Charles ingressou no grupo Ira, o que fez a banda ensaiar na minha casa. Todos os sábados e domingos lá estava eu, sentado em um banquinho esperando o Ira compor o repertório. Nesse período, presenciei as composições das músicas: "Núcleo Base", "Gritos na Multidão", "Nasci em 62", "Tolices", "Pegue Essa Arma", "Coração" e por ai vai...digamos que o repertório do Ira até o terceiro LP. Sorte a minha, não?

Meus amigos não se conformavam em não me ver na rua para jogar bola, futebol de botão ou outras brincadeiras de qualquer jovem adolescente. Eu queria mesmo era entrar naquele universo musical que me estava sendo  apresentado "de bandeja". Era mágico! Dalí foi um passo para eu ver nascer diversas bandas do cenário do rock brasileiro. Dentre estas bandas, presencie além do Ira, o Ultraje a Rigor, as Mercenárias, os Titãs, o Cabine C, o RPM, o Voluntários da Pátria e o Magazine. E depois ainda: Legião Urbana, Capital Inicial, Paralamas do Sucesso e...muitas outras. Vocês acham que queria jogar bola?? Meu nome era música. Edgard Scandurra me ensinou alguns acordes e aí fui aprender a tocar violão e depois pulei para o baixo elétrico.

Nasi era o cara que aparecia em casa com as novidades do punk rock, da new wave e até do reggae inglês. Ainda me lembro dos discos (raros na época) do The Police, The B-52's e Gang Of Four que ele trouxe em casa. Numa certa tarde, entreguei a ele uma fita K7 de marca Sanyo para me gravar o álbum dos Ramones "It's Alive". Mas para minha surpresa, uma semana depois nesta mesma fita, além dos Ramones, me vieram de "brinde", as bandas Angelic Upstairs, 999, Lukers, Sex Pistols, entre outras. A realidade é que ele me apresentou todas estas bandas que mudariam a  minha vida. Ou a minha "mudança de comportamento".

Meu irmão saiu do Ira! em 1984, ingressou no RPM e depois nos Titãs e eu nunca perdi o contato com os integrantes do Ira. De um garoto admirador, passei a trabalhar no ramo artístico e tive a oportunidade de agendar e conviver com "os meninos da rua Paulo" nas emissoras de TV em que trabalhei (MTV, Cultura, Record e Multishow, esta como freelancer).

Em 2004, o Nasi me procurou para me presentear com todas as fitas k7s que ele gravou dos shows do Ira! desde o início de carreira até o ano de 1993. Fiquei muito feliz em receber tal preciosidade.

Bem, não conto mais. Assistam abaixo a entrevista que fiz com ele para este blog nos bastidores do extinto programa Login (TV Cultura), para o qual eu fazia a produção musical.

Saiba tudo sobre o mais novo lançamento "Nasi Vivo Na Cena", disponível em CD/DVD.

Valeu, Nasi!!




quinta-feira, 9 de outubro de 2014

terça-feira, 7 de outubro de 2014

A independência da Bahia!



Programa Rock Cultura (rádio Cultura Brasil / 2010)

A história do rock brasileiro.
Apresentação: Nicolor Fornaglia e Cesar Gavin.
Direção: Nicolor Fornaglia.
Produção musical e acervo: Cesar Gavin.

O Rock Cultura vem cheio de malemolência e picardia homenageando 2 de julho, dia da independência da Bahia. A Bahia do axé, dancinhas e etc. está longe, muito longe do Rock Cultura. Já a tropicália, que muito utilizou o rock como ferramenta, está representada com Gil, Caetano e Gal. Raul Seixas e a emblemática "Metamorfose ambulante", os geniais Novos Baianos e gente nova como Penelope e Pitty demonstram que a Bahia foi e é muito importante para a história do rock brasileiro, para a música brasileira, e deixam claro que carnaval é uma coisa e rock é outra.



 
Rock Cultura #13 - A independência da Bahia from Cesar Gavin on Vimeo.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Guitarrista Tony Babalu lança disco novo


Por Cesar Gavin

As seis cordas de Tony Babalu

Com influências de rock, blues, baladas e grooves, Tony Babalu fez parte da banda Made in Brazil, uma das mais importantes do rock brasileiro, gravando os álbuns sensacionais como “Paulicéia Desvairada”, “Minha Vida é o Rock and Roll”, “Jack O Estripador”, entre outros.

Em 1981, Tony Babalu se juntou ao cantor Percy Weiss (Made In Brazil, Patrulha do Espaço e Harppia) e ao baixista e luthier Tiguez para formar a banda Quarto Crescente, que lançou o álbum homônimo pela Fermata.

"Live Sessions at Mosh", é o mais novo CD solo e instrumental  do guitarrista Tony Babalu, lançado pela Amellis Record e gravado ao  vivo no estúdio Mosh (SP). Com captação analógica nas tradicionais fitas de rolo, o processo de gravação foi  elaborado e executado de forma a garantir todos os elementos de uma apresentação  ao vivo.

O CD vem também com um vídeo de bônus, filmado  durante a execução da faixa de abertura, “Valsa à Paulistana”. A banda recrutada por Tony Babalu, também produtor do CD, conta com o baterista Franklin Paolillo (que passou por Made In Brazil, Rita Lee e Tutti-Frutti, Eduardo Araújo, Jessé, Joelho de Porco, O Terço), Adriano Augusto nos teclados e Leandro Gusman  no contrabaixo.

Som brasileiro com uma guitarra incrível. Confira!




Links relacionados:

quarta-feira, 18 de junho de 2014

As Radioativas - Entrevista no Vitrola Verde

As Radioativas e Cesar Gavin

Programa Vitrola Verde
Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

Atitude, rock and roll e "seja você mesmo"!


As Radioativas estão lançando o álbum "Cuidado Garota" (Baratos Afins), produzido por Luiz Calanca, um disco todo autoral que registrou o vigor da banda ao vivo com um som rock and roll, punk e psychobilly, com letras baseadas em estímulos para as descobertas da vida. Destaque para a bela execução e bom gosto nos timbres da guitarrista solo Lets Krüger.

A banda conta também com a voz de Tati, the Sex Maker, o baixo / backing vocal de Crica Mess e bateria de Lets, the  Scientist. Na gravação do disco teve também a guitarra base Natasha Garcia, que recentemente deixou a banda.

Em entrevista para o Vitrola Verde, as garotas falaram como é ter uma banda independente no Brasil, da gravação do disco, dos shows e das influências.

Confiram!





Links relacionados:

terça-feira, 10 de junho de 2014

Beatkids - Bitkids



Polygram, 1997

Sob influência dos Beatles e versionando diversas faixas, o grupo mirim Bitkids surgiram em Goiânia e fizeram muito sucesso, aparecendo em programas de TV nacionais, como o Domingão do Faustão, o Show da Xuxa, Silvio Santos, Jô Soares e Gugu – entre vários outros. Gravaram um disco que foi muito festejado pelos beatlemaníacos.

Atualmente, o integrante Ricardo Junior (baixo e guitarra) acompanha o grupo Ultraje a Rigor, como músico de apoio e também se destaca em seu trabalho autoral no duo OzDois ao lado de Fernando Thomaz (bateria).

Saiba mais aqui.





Playslist do Bitkids

terça-feira, 29 de abril de 2014

Sergio Martins (Revista Veja) no Vitrola Verde

Sergio Martins e Cesar Gavin

Programa Vitrola Verde
Direção e apresentação: Cesar Gavin
Fotografia: Marcelo Panda
Trilha de abertura: "Rock" de Mario Fabre
Link do canal: https://www.youtube.com/user/VitrolaVerdeTV
Info e programas: http://www.cesargavin.com/#!vitrola-verde/c17jv

Neste episódio, Sergio Martins relata excelentes momentos de sua carreira sobre suas entrevistas com os Rolling Stones, Paul McCartney e ainda comenta sobre suas críticas musicais na revista Veja e em outros veículos de comunicação em que trabalhou.

Confira!





Links relacionadoa:

    quinta-feira, 20 de março de 2014

    Ricardo Alexandre - Entrevista "Disseminando o Rock brasileiro"

    Cesar Gavin e Ricardo Alexandre - Foto: Panda

    Programa Vitrola Verde
    Direção e apresentação: Cesar Gavin
    Fotografia: Panda 67
    Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)

    O jornalista Ricardo Alexandre "chegou bem a tempo de ver o palco desabar", título de seu mais recente livro, lançado pela Editora Arquipélago.

    Tivemos um papo digníssimo sobre seus livros, documentários, discos e muito mais. Foi quase um debate sobre o Rock brasileiro, além de histórias relatadas com os artistas Wilson Simonal, Ronnie Von e Júlio Barroso (Gang 90 e Absurdettes).


    Confiram!

    Timecode:
    01:08 - Livro "Dias de luta"
    05:30 - Vanguarda Paulistana
    12:18 - Rock brasileiro (anos 80)
    16:28 - Box Wilson Simonal
    21:40 - Documentário Wilson Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei
    22:30 - Livro "Nem Vem que Não Tem - A Vida e o Veneno de Wilson Simonal
    33:10 - Documentário Napalm - Cidade Industrial
    39:07 - Documentário Júlio Barroso - Marginal Conservador
    42:57 - Documentário Ronnie Von - A máquina voadora
    47:20 - Demotapes de bandas do rock brasileiro
    50:55 - Livro  "Chegou bem a tempo de ver o palco desabar" - Anos 90

    Artistas mencionados (em ordem alfabética): Barão VermelhoBlitz, Capital Inicial, Charles Gavin, Dado Villa-Lobos, Detrito Federal, Dinho Ouro Preto, Eumir Deodato, Gang 90 e Absurdettes, Guilherme Isnard, Igor Cavalera, Ira!, João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, Jota Quest, Júlio Barroso, Kid Abelha, Legião Urbana, Magazine, May East, Max de Castro, Mercenárias, Nasi, Pamps, Paralamas do Sucesso, Party Up, Philippe Seabra, Plebe Rude, Rádio Táxi, Raimundos, Rapazes de Vida Fácil, Ronnie Von, RPM, Smack, Tigre de Bengala, Titãs, Tokyo, Toy Shop, Ultraje a Rigor, U.T.I., Vange Leonel,Voluntários da Pátria, Wanessa Camargo, Wilson Simonal, Wilson Simoninha e Zero.





    Links relacionados:


    terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

    Livros, produções e relançamentos em CD

    Programa Vitrola Verde
    Direção e apresentação: Cesar Gavin
    Fotografia: Marcelo Panda
    Trilha de abertura: "Rock" (Mario Fabre)
     http://www.vitrolaverde.com.br/

    "Escolta policial - De repente chegaram no meu prédio um carro preto, outro dourado e mais um com as fitas do Roberto Carlos. Parecia que a polícia federal estava chegando no meu prédio para me prender..." (sobre o projeto de relançamentos das boxes do cantor Roberto Carlos) 

    O produtor e pesquisador Marcelo Froes está lançando pela sua editora Sonora o livro "1973 - O ano que reinventou a MPB". Organizada pelo jornalista Célio Albuquerque, o livro traz textos sobre grandes discos lançados naquele ano. Froes também comenta neste episódio sobre todo o seu trabalho de pesquisa para relançamentos de álbuns clássicos e ou faixas inéditas da música brasileira. E ainda muitas curiosidades sobre a Bossa Nova, Jovem Guarda e MPB.





    Tags: Andre Midani, Beatles, Bossa Nova, Carlos Savalla, CBS, Charles Gavin, A Cor do Som, Discobertas, Ed Lincoln, Erasmo Carlos, Geroge Martin, Gilberto Gil, Gonzaguinha, Guto Graça Mello, João Bosco, Jovem Guarda, Magazine, Moraes Moreira, Moreira da Silva, Musidisc, Nando Reis, Nara Leão, Noel Rosa, Novos Baianos, Paul McCartney, Pepeu Gomes, Polygram, Raul Seixas, Remo Usai, Roberto Carlos, Roberto Menescal, Ruy Castro, Secos e Molhados, Sonora, Sony Music, Tarik de Souza, Tom Jobim, Universal Music, Walter Wanderley, Wanderlea, Whitney Houston e Zuza Homem de Mello

    domingo, 9 de fevereiro de 2014

    Modulares - Satélites modulares


    Independente, 2010
    Recorded in mid 2010 at Submarino Studios, São Paulo, by Cleyton Martin credits released January 10, 2010

    Jun Santos - Guitar/vox
    Pedro Carvalho - Guitar
    Alexandre Tercarolli - Bass
    Fabio Barbosa - Drums

    Terceiro trabalho lançado pelo grupo paulistano, influenciado por sonoridades vindas do Powerpop, The Jam, toda a cena Mod Revival Britânica dos 80’s, o R&B e as garage-bands dos 60’s.


    terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

    João Barone no programa Agora é Tarde



    O Brasil teve uma participação importante na Segunda Guerra Mundial, embora pouca gente saiba o que de fato aconteceu. João Barone, baterista dos Paralamas do Sucesso, conta sobre o documentário que fez sobre a guerra e como os esforços brasileiros foram importantes para a guerra.

    Programa Agora é Tarde (Band)
    Data: 12/06/2013