Juba (Blitz) - Entrevista #3 "O Rock brasileiro e o festival Rock in Rio"

Blitz no Rock in Rio 1985 - Foto: Divulgação

Blitz - banda que mudou a história do Rock brasileiro.

Programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Juba, baterista da Blitz. Foi integrante das bandas Joelho de Porco, Made In Brazil,Fush, Rock Memory, Watt 69, Memphis e Tutti Frutti.




Assista também:

Juba (Blitz) - Entrevista #2 "A Blitzmania" (1982 a 1986)

0

"Lô" - Tony Bellotto (livro)



Novo livro do guitarrista do Titãs

Autor: Tony Bellotto
Editora: Companhia Das Letras, 2018
Sobre: A paz aparentemente imperturbável de Lô, um bem-sucedido designer de móveis, será completamente devassada pela namorada adolescente do filho. Invertendo a estrutura do clássico de Nabokov, Tony Bellotto retorna ao romance e cria uma extraordinária mistura de comédia de costumes, sátira social e narrativa de crime. Lourenço Barclay, conhecido por todos como Lô, é a imagem do homem pleno e realizado. Aos cinquenta anos, mas com o corpo de um jovem esportista, leva a vida dos sonhos: tem uma mulher deslumbrante, um filho exemplar e vive num enorme apartamento na zona sul do Rio. Lô fez sua fama conjugando a cultura do surfe com o design, vendendo móveis inspirados num lifestyle saudável para a elite carioca por preços exorbitantes. O que ele não espera é que a namorada de seu filho, uma adolescente pálida e baixinha, avançará em sua direção com a força de um tsunami, tirando o equilíbrio do ex-surfista. Motivada por escritos como os de Simone de Beauvoir, a jovem Jú transforma Lô em seu objeto de desejo máximo. O encontro com a menor de idade marca o fim da paz de Lô: não há meditação budista, exercício de pilates, alfafa orgânica ou bolinhos de alga capazes de salvá-lo. Neste cômico romance, onde todos acreditam ser justos, não há pureza à vista, e Bellotto está disposto a remover as máscaras de tudo e todos que surgirem pela frente.
0

A Revolta de Oceano Atlantis - Filme



Filme tem Paulo Miklos (ex-Titãs) atuando e roteiro e música de Ciro Pessoa (+ Wania Forghieri, ex-Cabine C)

Ano: 1993 (1h 20min)
Direção: Francisco de Paula
Elenco: Nuno Leal Maia, Guará Rodrigues, Dercy Gonçalves, Antônio Abujamra, Paulo Miklos, entre outros.
Roteiro: Ciro Pessoa e Francisco de Paula
Música original: Harold Budd, Laudir de Oliveira, Ciro Pessoa, Apollo 9 e Wania Forghieri

Sinopse: Nas profundezas do Oceano Atlântico, na Baía de Guanabara, sobreviventes de uma civilização vivem submersos após um maremoto ter varrido do mapa a cidade do Rio de Janeiro. A comida é um problema do local inundado, em que pessoas têm sido sacrificadas por causa da fome enquanto a Marinha raciona a distribuição de alimentos e proíbe o sacrifício de animais, exceto espécies de cachorros comestíveis.
0

Blitz ao vivo (2018)



Em 2018, o shopping Eldorado completa 37 anos. Para comemorar, a instituição recebeu a Blitz, que fez um show gratuito no estacionamento externo.

Formada em 1982, a Blitz, comandada por Evandro Mesquita, se tornou referência de BRock, termo muito usado para designar o rock brasileiro da época. O grupo apresentou seus maiores sucessos, como "Você Não Soube Me Amar", "A Dois Passos do Paraíso" e "Mais Uma de Amor", além de faixas do álbum mais recente "Aventuras II".

Data: 16/09/2018

Fotos: @cesargavin

Blitz ao vivo no Shopping Eldorado


Imagens: @rockbrasileiropontonet

0

O Frenético Dancin' Days, o musical

                                                   O Frenético Dancin' Days - Foto: divulgação

O espetáculo conta a história do Frenectic Dancin Days Discotheque, uma casa de show localizada na cidade do Rio de Janeiro, fundada em agosto de 1976 pelo jornalista e produtor musical Nelson Motta. Em seu palco passaram artistas famosos e ali nasceu As Frenéticas, grupo de maior sucesso nas décadas de 1970 e 1980.

Texto Nelson Motta e Patricia Andrade
Direção geral Deborah Colker
Direção musical Alexandre Elias
Realização Opus e Irmãs Motta
Local: Teatro Bradesco Rio (de 24 de agosto a 21 de outubro de 2018)
Classificação Etária: 12 anos. Menores de 14 anos, somente poderão entrar acompanhados dos pais ou responsáveis.

Release do espetáculo

O musical será uma superprodução, com 17 atores e sete bailarinos, escolhidos através de audições, à exceção de Stella Miranda, uma das mais importantes atrizes de musicais do país, que foi convidada especialmente para o projeto. Além de Stella, que interpreta Dona Dayse, o elenco é formado por: Ariane Souza (Madalena), Bruno Fraga (Nelson Motta), Cadu Fávero (Djalma), Franco Kuster (Léo Netto), Gabriel Manita (Inácio/Catarino), Karine Barros (coro/stand in feminino), Larissa Venturini (Scarlet), Natasha Jascalevich (Bárbara), Thadeu Matos (Tony Manero), além das Frenéticas: Carol Rangel (Edyr de Castro), Ester Freitas (Dhu Moraes), Ingrid Gaigher (Lidoca), Julia Gorman (Regina Chaves), Larissa Carneiro (Leiloca) e Ludmila Brandão (Sandra Pêra).

Deborah Colker (que acaba de ser premiada na Rússia com o Prix Benois de la Danse, considerado o Oscar da Dança) assina também as coreografias e terá ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenários), Maneco Quinderé (designer de luz) e Alexandre Elias (direção musical). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.

A noite carioca fervia nos anos 70, quando a casa foi criada para inaugurar também o Shopping da Gávea. A cena disco estava explodindo em Nova York, mas ainda não tinha acontecido no Brasil. O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil.

Entretanto, nada causou tanta sensação quanto o surgimento das Frenéticas. Contratadas inicialmente como garçonetes, elas também faziam uma breve apresentação durante a madrugada. O sucesso foi imediato: Leiloca, Sandra Pera, Lidoca, Edyr, Dhu Moraes e Regina Chaves logo abandonaram as bandejas e assumiram os holofotes. Elas foram o primeiro grupo contratado da multinacional Warner, que estava aportando no Brasil. O país inteiro cantou ‘Dancin´Days’, ‘Perigosa’, ‘O Preto que satisfaz’ (abertura da novela ‘Feijão Maravilha’, da TV Globo), entre tantas outras.

A boate funcionou por apenas quatro meses, pois o contrato era limitado ao período que antecedia a abertura do Teatro dos Quatro. Ela celebrava um Rio e um país que conseguiam ser livres, apesar da ditadura militar. A casa reunia famosos e anônimos, hippies e comunistas, todas as tribos com o único objetivo de celebrar a vida. O sucesso foi tamanho que a casa foi reaberta no Morro da Urca e inspirou a novela ‘Dancin´ Days’, de Gilberto Braga, que tinha a música homônima das Frenéticas como tema de abertura. O país inteirou caiu na gandaia e entrou na festa.

E é justamente esta festa que estará de volta a partir de agosto. O espetáculo relembrará grandes clássicos da discoteca como ‘I love the nightlife’, ‘You make me feel might real’, ‘We are Family’, ‘Y.M.C.A’, ‘Stayin´alive’, além de clássicos das Frenéticas e grandes sucessos nacionais da época, como ‘Marrom Glacê’ e ‘A noite vai chegar’, entre outros. O Rio de Janeiro voltará a sorrir!

Matéria sobre a peça no Jornal da Globo

0

Adriana - Dois discos relançados em CD

                                                          Adriana - Foto: divulgação

Cantora da Jovem Guarda tem discos relançados em CD da fase pop / romântica dos anos 80


RGE,1986
Relançado por Discobertas, 2018

Estreia da cantora na RGE, inaugurando uma nova fase de muito sucesso em 1986. Produzido por Ricardo Feghali, com forte participação instrumental do Roupa Nova nas bases, e destaque para os sucessos I Love You Baby e Pra Sempre Vou Te Amar.









RGE, 1988
Relançado por Discobertas, 2018

Segundo álbum da cantora na RGE em 1988. Novamente produzido por Ricardo Feghali, com forte participação instrumental do Roupa Nova nas bases, e destaque para o sucesso "Combinado Assim".
0

PAD homenageia policiais e bombeiros em videoclipe e candidato a presidência do Brasil prestigia a banda




PAD, banda paulistana de Hard Rock / Pop Rock dedica canção "Eu Sou o Cara" para policiais e bombeiros em videoclipe. Com super produção da Monte Castelo e direção de Eduardo Galeno, o clipe contém depoimentos emocionantes.

Luiz Carlini, lendário guitarrista do Tutti Frutti participa da faixa e das filmagens.

O PAD é formado por Noogh (vocal), Marcos Kleine (guitarra), Leandro Pit (guitarra), Will Oliveira (baixo), Rodrigo Simão (teclado) e Thiago Biasoli (bateria).

Videoclipe - Eu Sou o Cara"




O presidenciável Jair Bolsonaro soltou uma nota hoje em seu twitter parabenizando a banda pela atitude. Confira!



Veja também

Fabio Noogh (cantor do PAD) - Entrevista "O Som e a cura"

0

Baranga - "Motor Vermelho" (CD)


Voice Music, 2018
Produzido por Heros Trench

Válvulas batendo igual a um coração! Marcando o ritmo da canção...

Sexto álbum da banda Baranga é uma "encrenca"! Motor vermelho apresenta o "rock de rua", do "boteco ao lado". Do "amor e locura"!. Não importa! Você vai ouvir como um "animal voraz". Garanto! Hard Rock com peso! A prova disso é o som do baixo Rickembaker do Ricardo "Soneca" Schevano (integrante também do Carro Bomba) e as guitarras muiti-overdrivers de Deca e Xande.

O disco marca a despedida do baterista Alemão, que deixou a banda por motivos pessoais, segundo nota da banda em rede social. Em seu lugar, retorna Paulão Thomaz, um dos fundadores da banda e que gravou todos os cinco álbuns anteriores.

O disco abre espaço para uma regravação de "O Carona" do Tony Bizarro, cantor de fez parte do movimento Soul brasileiro dos anos 70.



"Biruta"

0

Blitz - teaser do filme

                                                     Evandro Mesquita - divulgação / Viralata Produções

A Viralata Produções divulga teaser do filme da Blitz. O documentário revive a explosão do Rock brasileiro, iniciada em 1982 pela banda, liderada pro Evando Mesquita. Participações dos músicos da formação atual e ex-integrantes Fernanda Abreu e Ricardo Barreto.

Ainda não foi divulgada a data de estreia do filme.

0

Mario Gomes - Álbum homônimo de 1977 relançado em CD



Som Livre, 1977
Relançado por Discobertas, 2018

Ator dos anos 70 e 80, Mario Gomes também é cantor e compositor

Lendário álbum solo gravado pelo ator Mario Gomes em 1977, com produção de Guto Graça Mello e arranjos de Lincoln Olivetti. O repertório do disco vem com canções de Guilherme Lamounier, Sergio Natureza, Don Beto, Gabriel O'Meara, entre outras.




Mario Gomes fez muito sucesso nas telenovelas como ator. Dentre suas composições, destacam-se "Rei dos Trópicos", "Chiclete e Cabochard" e "O Dono da Bola", esta última tema de seu personagem em Vereda Tropical, exibida na TV Globo em 1984.

0

Korzus - Clássico álbum "Ties of Blood" ganha versão em vinil vermelho, 180 gramas


Lançado originalmente em 2004, Ties of Blood é um dos discos mais aclamados do Korzus e um dos álbuns responsáveis pela consolidação do thrash metal no Brasil. Poderoso, enérgico e técnico, o disco traz ainda participações especiais bem interessantes, como Hélcio Aguirra (Harppia e Golpe de Estado), Andréas Kisser (Sepultura), João Gordo e Boka (Ratos de Porão) e André Matos (Shaman, Angra), em uma participação muito curiosa na música Evil Sight, onde ele arrisca um vocal mais gutural, totalmente diferente de tudo que já fez.

Entre os destaques do disco estão Guilty Silence, a primeira faixa, na qual Marcello Pompeu aparece com um vocal muito poderoso e inteligível, não se limitando a urrar, mas também a interpretar. “E isso está presente em todas as músicas, lembrando muito Tom Araya no auge do Slayer, da época do Reign in Blood”, afirmou Ewerton Laraia, no site Whiplash. “O disco continua soberbo em faixas como What are You Looking for e Never Get Me Down, com um show de riffs de guitarra da dupla Heros Trench (é um absurdo o que esse cara toca!) e Silvio Golfetti”, completou o crítico. No mesmo site, uma outra análise diz que “o Korzus investe neste lado mais técnico e inova com solos bem trabalhados e duelos de guitarra”. “A cozinha formada pelo veterano Dick Siebert e o novato Rodrigo Oliveira é maravilhosa, com uma pegada que eu não via há anos na cena thrash nacional”, destacava ainda Bruno Sanchez.

 Agora, o álbum ganha uma versão inédita em vinil vermelho, 180 gramas, remasterizado e com capa gatefold, para dar ainda mais destaque à capa e ao encarte. O disco já está disponível numa pré-venda , com preço promocional e entrega prevista para 25 de outubro, pelo site da Monstro (www.lojamonstro.com.br)

"Guilty Silence"

0

Marquês - "Sonhar Viajar" (CD)


Dito Branco, 2016
Produzido por Tico Rizzo / De Grigo



Release:

O álbum contém sete músicas registradas, sendo duas inspiradas nas obras de Hamlet e Henrique IV (primeira parte) do escritor Willian Shakespeare.

A paixão de Rodrigo Sousa pela música sempre existiu, mas em abril de 2015 ele decidiu colocar o projeto em prática e o nome Marquês foi escolhido para demarcar fronteira e criar para o público uma obra marcante para ser apreciada a qualquer momento. “A música alimenta o ser, estimula os sonhos, impulsiona a vida, reúne pessoas e envolve o bem”, comenta o artista.


Vídeoclipe "Ser ou Não Ser"




Marquês faz parte dos cem jurados do programa Canta Comigo (TV Record), exibido todas quartas-feiras, às 22h30.

                                                  Cesar Gavin (produtor artístico) e Marquês - bastidores do Canta Comigo
0

Charles Gavin (baterista e produtor) comenta sobre foto rara da sua primeira banda, a Zero Hora

                                                             Zero - Acervo Ivam Freire

O baterista Charles Gavin (ex-baterista dos Titãs e apresentador do programa O Som do Vinil / Canal Brasil) comenta em nota, na sua rede social, sobre a Zero Hora, sua primeira banda aos dezessete anos de idade.

"No começo era assim... Imagem rara, recuperada pelo amigo companheiro de banda Ivam Freire. Era 1979 ou 1980... A família de Ivam (baixista) cedeu espaço em sua casa para que construíssemos um lugar para ensaiar. É ele que está sorrindo e carregando um pilha de tijolos. À esquerda, com enxada na mão, está Miguel (vocalista) e de cabeça baixa, com a pá, Walmor (guitarrista). Estou na margem direita, com cara de mau. Zero Hora foi a 1º banda que tive - fui convidado a entrar em 1978. Ficamos juntos até 1980, acredito. Aprendi muito com esse caras. Nossa influências: Made In Brazil, Raul Seixas, Rita & Tutti Frutti, Mutantes, Som Nosso De Cada Dia, Patrulha Do Espaço, Terreno Baldio, Joelho de Porco, Novos Baianos, O Terço, Casa da Máquinas, Rainbow e bandas alternativas de SP como o Sindicato, de Gigante Brasil, e o incrível Aurora Boreal (expoente do rock progressivo instrumental tupiniquim). "Tempo bom não volta mais..., já dizia Lilico!"

Link original aqui.

Veja também

Charles Gavin - Entrevista: "Destruindo a mobília, a primeira banda (Zero Hora) e a escola" 




Matéria com o grupo Moleque de Rua no programa Fantástico em 1991
Ivam Freire no baixo - disco produzido por Charles Gavin

0

Juba (Blitz) explica a batida da bateria - música: "Geme Geme"

                                                                               Juba e Cesar Gavin

Juba mostra como foi integrar na Blitz em 1982, a banda que mudou a história do Rock brasileiro, a partir daquele ano.

Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)

Convidado: Juba, baterista da Blitz. Foi integrante das bandas Joelho de Porco, Made In Brazil,Fush, Rock Memory, Watt 69, Memphis e Tutti Frutti.





Veja também

Juba (Blitz) - Entrevista #2 "A Blitzmania" (1982 a 1986)

0

Helio Santisteban - Memorial



Helio Santisteban, ex- tecladista e vocalista do grupo Pholhas faleceu em 26/08/18 aos 69 anos.  A notícia foi confirmada através do perfil oficial do músico no Facebook. A causa do óbito não foi informada.

Músicos e família lamentam a morte de Helio Santisteban


Banda Pholhas

"É com muita tristeza que recebemos nesta manhã de domingo a notícia de falecimento do nosso ex-companheiro de tantas e tantas jornadas musicais, e um dos fundadores da banda PHOLHAS: Helio Santisteban.  Estava em carreira solo há dez anos, mas sempre ligado aos PHOLHAS, e sempre estará!  Pudemos partilhar muitas alegrias, tristezas, alguns momentos difíceis, enfim, tudo o que a vida artística nos destinou, mas com certeza fomos felizes.  Vá em paz Helinho, faça o Céu um pouco mais feliz com a sua música. Os nossos mais profundos sentimentos a família."





Clau Santisteban (esposa)





Gel Fernades (baterista do Radio Táxi)
Esse cara me deu muita força na minha carreira, muito obrigado por tudo. Essa foto foi quando tocamos juntos no Largo do Arouche, na Virada Cultural.( RIP )...Helio Santisteban , você é o CARA!
















Pholhas








0

Bellini - "Bellini Rock" (CD)

 Bellini - Foto: Divulgação

Um disco cru, Rock and Roll e com influências do rock brasileiro dos anos 80, marcam a carreira de Bellini

Release:

Bellini é um cantor e compositor de Rock de São Carlos/SP. Em 1995 cantando músicas do Rock brasileiro no pátio do colégio técnico da escola onde estudava, foi convidado por três colegas a fazer um teste como vocalista de uma banda, e deste dia até os atuais, a música jamais deixou de fazer parte de sua vida.


Em 2017 Bellini lança seu primeiro disco solo “Bellini Rock”, contendo 10 faixas. Foi gravado, produzido e arranjado por Dammtunes, mixado e masterizado no estúdio Urca Music – Rio de Janeiro/RJ e distribuição da Warner Chappell Digital.

O Disco conta com participações especiais de Fred Nascimento (ex-Tantra e que tocou com Legião Urbana e Capital Inicial; gaita e violão na faixa “Sonho”), Eduardo Chermont (guitarras solo nas faixas “A Rua e a Lua” e” O Que Aconteceu Aqui”),  backing vocal’s e cordas por Damm.

Em 2018 lançou vários vídeos em divulgação ao trabalho e em breve irá lançar um DVD ao vivo gravado em São Paulo/SP.








Confira o álbum no Spotify - http://spoti.fi/2yaxOzX

Quase Sempre Disfarço (Videoclipe) 




Veja também

Erasmo Carlos "Olhar de Mangá"




Stranho Azuis - banda Hard Rock de São Carlos (SP)
0

Paulinho Boca de Cantor - "A Bossa do Boca" (DVD / CD)


CD / DVD
Atração, 2006
Direção: Wilson Souto Jr.
Participações: Pepeu Gomes, Davi Moraes, Baby do Brasil,

Paulinho Boca de Cantor (cantor e compositor) foi um dos fundadores do icônico grupo Novos Baianos (1969 a 1979).

Em 2005 é convidado para fazer especial de TV pela TVE- de Salvador e transforma o show em seu primeiro DVD A Bossa do Boca. Uma homenagem a Bossa Nova e ao seu criador, o genial baiano João Gilberto.



"Preta Pretinha"

0

Titãs disponibiliza "ato II" da Ópera Rock "Doze Flores Amarelas"


Titãs - Foto: divulgação

Doze Flores Amarelas está sendo apresentado ao vivo num formato de espetáculo que mistura elementos de teatro, música e cinema e é dirigido por Hugo e Otávio Juliano. Rita Lee, mãe de Beto, narra a história, ligando as faixas.

A apresentação conta com a participação das atrizes Corina Sabbas, Cyntia Mendes e Yas Werneck. O cenário dos shows tem telas para a projeção de ambientes variados e simulações de postagens em redes sociais e foi montado por Olivia Branco.

O show foi filmado em 12 de maio de 2018 no Teatro Opus (São Paulo / SP).

Assista segundo ato completo aqui.


Nota oficial no twitter da banda:
0

Fabio Noogh (cantor do PAD) - Entrevista "O Som e a cura"


Fabio Noogh - Foto: divulgação
Programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)
Convidado: Fabio Noogh (produtor, compositor e cantor das bandas PAD e The Soundtrackers)

PAD é uma banda brasileira de Pop Rock composta pelos veteranos Marcos Kleine (guitarra), Fabio Noogh (voz), Thiago Biasoli (bateria), Will Oliveira (baixo), Leandro Pit (guitarra) e Rodrigo Simão (teclado)


Cesar Gavin e PAD


Entrevista




Veja também:

Pad - Videoclipe "Eu Sou o Cara"



The Soundtrackers "What a Feeling" no programa Login (TV Cultura) em 2010

0

Adriano Ferrari - "Manifesto" (single)



Nesta sexta, 24/08 ocorre o lançamento em todas as plataformas digitais, pela Discobertas, do single "Manifesto" - o terceiro do cantor e compositor baiano Adriano Ferrari. Especializado no que chama de brega & roll, Ferrari é influenciado por Paulo Sergio, Odair José e outros que fizeram canções populares nos anos 60/70/80.

O novo single é uma viagem de seu personagem ao ano de 1968. Ferrari finaliza seu primeiro CD para a Discobertas e o lançamento deve ocorrer ainda neste segundo semestre de 2018.

Spotify: https://open.spotify.com/album/7ycAd9VgE1j69CetG2XnUL?si=Jw3IPrRdTmut0INa-cK_kw

Veja também:

"Este Meu Brega'n'Roll" (single)

0

Gerson Conrad - Entrevista "Lago Azul" (Álbum lançado em 2018)


Deck, 2018
Produzido por Aru Jr.

Release do disco:

Membro original e fundador de uma das maiores bandas da música nacional, Secos & Molhados, Gerson Conrad lança seu novo álbum, “Lago Azul”.

No álbum estão 12 canções, todas de autoria de Gerson, algumas com parceiros como Paulinho Mendonça, Alessandro Uccello, Pedro Levitch e Aru. Baseadas em um rock setentista com letras profundas, a faixa-título é cantada toda em cima de um arranjo de cordas. Outra música do álbum, “Antes que Amanheça”, mostra um lado mais psicodélico. “No meu trabalho pode-se ouvir referências e estilos musicais de toda sorte. É uma característica das minhas composições não ter restrição de gênero”, explica Gerson.

Após o fim dos Secos & Molhados, o violonista, cantor e compositor teve dois discos lançados: “Gerson Conrad & Zezé Motta” (1975) e “Rosto Marcado” (1981). Na década de 80, ele se afastou da carreira musical, dedicando-se a outros projetos. Gerson voltou a fazer shows no final dos anos 90, convidando músicos ou fazendo apresentações mais intimistas. No repertório, ele interpretava canções da sua carreira solo, do período com os Secos & Molhados e inéditas de sua autoria.

Junto de Aru Jr.(produtor do disco e guitarrista) surgiu a vontade de gravar algumas de suas composições, sem a intenção de um álbum. Isso mudou há um ano e, após uma escolha de primeira emoção das canções, foi registrado o disco “Lago Azul”. “Feito a dança onírica de notas musicais. Assim era e é minha relação profissional como músico, compositor e intérprete. A oportunidade de voltar ao mercado fonográfico, de registrar em estúdio minhas composições, é simplesmente gratificante”, conta Gerson.

Entrevista para o programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)



Veja também

Gerson Conrad - Entrevista "A história dos Secos & Molhados e carreira solo"

0

Radio Táxi - "Horóscopo do Amor Perfeito" (CD)


Relançamento em CD por Discobertas, 2018

Segundo álbum da banda ícone do BRock paulista na RGE em 1991, produzido pelo guitarrista Robertinho de Recife, que toca bastante no disco. Destaque para "Despestar dos Trágicos", parceria da banda com Rita Lee.

O repertório apresenta também parceria com o guitarrista André Christovam e uma regravação de "O Contrário de Nada é Nada" dos Mutantes.



Neste episódio do Vitrola Verde, o baterista Gel Fernandes comenta toda a discografia do Radio Táxi.

0

Juba (Blitz) - Entrevista #2 "A Blitzmania (1982 a 1986)

Cesar Gavin e Juba

Blitz - a banda que mudou a história do Rock brasileiro.

Programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)
Convidado: Juba, baterista da Blitz. Foi integrante das bandas Joelho de Porco, Made In Brazil,Fush, Rock Memory, Watt 69, Memphis e Tutti Frutti.

0

As Mercenárias - "Baú 83 / 87" (Box / LP)



Nada Nada Discos, 2018

Mais uma vez o selo Nada Nada Discos surpreende os grandes colecionadores e amantes da música e, claro, de long play (LP).

Em depoimento para este site, Mateus Mondini, diretor artístico do projeto, comenta: "fiquei um ano fazendo reuniões com a Sandra, ouvindo as fitas e bolando a arte, mas tudo com muita calma".

Mateus é um exímio pesquisador do Punk Rock brasileiro. Já lançou raridades dos Replicantes, Lobotomia, Inocentes e até um compacto das Mercenárias inédito. Todos em formato vinil.

Eu, que acompanhei sob meus olhos a formação das Mercenárias nos idos 1983, com Edgard Scandurra (Ira!) na bateria, em um ensaio na casa da mãe da Sandra, não contive as lágrimas, quando coloquei a agulha nesta "bolacha" que me fez voltar no tempo. Uma época em que várias bandas se destacavam nas noites paulistanas por suas inovações.



Release:

Todas as músicas do disco foram gravadas entre 1983 e 1987 e estavam em fitas K7, guardadas na casa da mãe da Sandra Coutinho, baixista e fundadora do grupo.

Do lado A são 10 músicas inéditas e do lado B um show ao vivo no Sesc Pompéia em 1983 e uma gravação de estúdio em 1986.  Tudo isso remasterizado no Estúdio El Rocha, por Fernando Sanches. O LP vem acompanhado de um livreto com 12 páginas coloridas, repletas de fotos de Rui Mendes (autor da capa), Sérgio Coutinho e Marcos Morcef.

Além do LP teremos também a caixa, limitada em 150 cópias, que além do disco em vinil transparente tem também uma fita K7 com outras gravações da época, 8 posters em serigrafia, camiseta, bottons, adesivo e a reproduções de três panfletos / zines que a banda entregava nos shows.





Veja também:


O Começo do Fim do Mundo - Reedição inédita em LP (2 discos + raridades)











Sandra Coutinho - Entrevista #2: "As Mercenárias - carreira, imagem e sucesso"




As Mercenárias ao vivo no projeto "Edgard Scandurra: O Operário do Rock"

0

Blues Pack ao vivo no Sesc Belenzinho (2018)


Power trio de Blues Rock formado pela bateria ágil e vocais marcantes de Manny Monteiro, pela guitarra enérgica e visceral de Norba Zamboni e pelo baixo pesado e pulsante de Ricardo Gaspa.

Show: 11/08/2018 no Sesc Belenzinho (São Paulo, SP)
Filmado e fotografado por Cesar Gavin

Slide de fotos

Blues Pack no Sesc Belenzinho



Blues Pack ao vivo




Veja também:



CD lançado em 2008. Veja aqui.











Gaspa The Bass Player - passagem de som em 2013 no Centro Cultural São Paulo



Cesar Gavin entrevista Ricardo Gaspa (2010)




Gaspa & os Alquimistas (Programa Login - TV Cultura em 2010)

0

CaSch - "High Level Low Profile" (CD)

CaSch - Foto: Ana Fuccia





Voice Music, 2018
Produzido por CaSch
Mixado e masterizado por Heros Trench















"Sempre no Rock'n Roll, tocando pesado e bebendo vinho por muitas noites" (CaSch)   

CaSch é uma porrada! No peito!

O disco abre com a faixa "High Level", um Hard Rock pesado que qualquer fã do Motorhead ouviria no volume máximo.

Os irmãos Schevano Ricardo "Soneca" e Marcello (ambos do Carro Bomba) somaram suas composições com Rolando Castello Junior (Patrulha do Espaço) desde 2016. Foram dois anos compondo, produzindo e mixando. O lançamento saiu neste mês de agosto e possui todas as letras cantadas em inglês.

Entretanto não é álbum de Hard Rock. O repertório vai além e te faz viajar para os saudosos anos 70 com o som experimental e Rock Progressivo. Remete as influências de Rainbow, Black Sabbath e Supertramp, principalmente na música "God".

Um disco mais que recomendável! Ouça alto!

0

Asteróides Trio ao vivo no programa Distrito Brasil



Programa Distrito Brasil na Stay Rock Brazil: http://www.stayrockbrazil.com.br/  
Apresentação: Rogério Utrila
Gravado no Estúdio Electric Mars em Maio de 2018.

Setlist
01. O último dos moicanos
02. Garota de Saturno
03. Pelas Ruas
04. Verônica Biônica
05. Teddy, o primeiro da gangue a morrer
06. Tabaco, álcool, perfume barato
07. Nancy, vamos para casa 08. Twist Voodoo

0

Harmony Cats - Dois álbuns relançados em CD

                               Harmony Cats: Sylvia Cremona, Maria Amélia e Vivian Costa Manso - Foto: divulgação

Disco Music e Pop Rock foi sucesso nos anos 70 e 80 

O grupo viveu seu auge apresentando-se em programas como Cassino do Chacrinha, Geração 80, Fantástico, Barros de Alencar, Clube do Bolinha, Raul Gil, Sílvio Santos, Almoço com as Estrelas, entre outros. Fez turnês pelo Brasil e países como Estados Unidos e Canadá.





Lançado em 1982 (RGE)
Relançado em 2018 por Discobertas

Após álbuns de "medley" pela Som Livre nos anos 70, com esse álbum o trio vocal paulistano estreou na RGE sob a produção de Helio Costa Manso e com acompanhamentos da banda Os Carbonos.

O cantor Gilliard (marido de Sylvia Cremona) é o compositor de "O Sonho Acabou" e participa cantando no disco em "Eu Amo Você (M' Lnnamoro Di Te)".

Lançado em 1983 (RGE)
Relançado em 2018 por Discobertas

Segundo álbum do trio vocal paulistano na RGE, desta vez produzido por Luiz Carlos Maluly (ex-Lee Jackson) e com acompanhamentos da banda Os Carbonos e do tecladista Nico Rezende.

 Destaque para "Ela Dança", versão de "Maniac", música da trilha de Flashdance. O disco vem também com uma versão "Big Yellow Taxi" de  Joni Mitchell.













Veja também:


Gel Fernandes (baterista do Radio Taxi comenta a participação no álbum "Harmony Cats Show"












Gel Fernandes (baterista) - Entrevista #2 "Goodbye, Jovem Guarda / Hello, Hits Brasil"

0

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com