As Mercenárias - "Baú 83 / 87" (Box / LP)



Nada Nada Discos, 2018

Mais uma vez o selo Nada Nada Discos surpreende os grandes colecionadores e amantes da música e, claro, de long play (LP).

Em depoimento para este site, Mateus Mondini, diretor artístico do projeto, comenta: "fiquei um ano fazendo reuniões com a Sandra, ouvindo as fitas e bolando a arte, mas tudo com muita calma".

Mateus é um exímio pesquisador do Punk Rock brasileiro. Já lançou raridades dos Replicantes, Lobotomia, Inocentes e até um compacto das Mercenárias inédito. Todos em formato vinil.

Eu, que acompanhei sob meus olhos a formação das Mercenárias nos idos 1983, com Edgard Scandurra (Ira!) na bateria, em um ensaio na casa da mãe da Sandra, não contive as lágrimas, quando coloquei a agulha nesta "bolacha" que me fez voltar no tempo. Uma época em que várias bandas se destacavam nas noites paulistanas por suas inovações.



Release:

Todas as músicas do disco foram gravadas entre 1983 e 1987 e estavam em fitas K7, guardadas na casa da mãe da Sandra Coutinho, baixista e fundadora do grupo.

Do lado A são 10 músicas inéditas e do lado B um show ao vivo no Sesc Pompéia em 1983 e uma gravação de estúdio em 1986.  Tudo isso remasterizado no Estúdio El Rocha, por Fernando Sanches. O LP vem acompanhado de um livreto com 12 páginas coloridas, repletas de fotos de Rui Mendes (autor da capa), Sérgio Coutinho e Marcos Morcef.

Além do LP teremos também a caixa, limitada em 150 cópias, que além do disco em vinil transparente tem também uma fita K7 com outras gravações da época, 8 posters em serigrafia, camiseta, bottons, adesivo e a reproduções de três panfletos / zines que a banda entregava nos shows.





Veja também:


O Começo do Fim do Mundo - Reedição inédita em LP (2 discos + raridades)











Sandra Coutinho - Entrevista #2: "As Mercenárias - carreira, imagem e sucesso"




As Mercenárias ao vivo no projeto "Edgard Scandurra: O Operário do Rock"

0

Blues Pack ao vivo no Sesc Belenzinho (2018)


Power trio de Blues Rock formado pela bateria ágil e vocais marcantes de Manny Monteiro, pela guitarra enérgica e visceral de Norba Zamboni e pelo baixo pesado e pulsante de Ricardo Gaspa.

Show: 11/08/2018 no Sesc Belenzinho (São Paulo, SP)
Filmado e fotografado por Cesar Gavin

Slide de fotos

Blues Pack no Sesc Belenzinho



Blues Pack ao vivo




Veja também:



CD lançado em 2008. Veja aqui.











Gaspa The Bass Player - passagem de som em 2013 no Centro Cultural São Paulo



Cesar Gavin entrevista Ricardo Gaspa (2010)




Gaspa & os Alquimistas (Programa Login - TV Cultura em 2010)

0

CaSch - "High Level Low Profile" (CD)

CaSch - Foto: Ana Fuccia





Voice Music, 2018
Produzido por CaSch
Mixado e masterizado por Heros Trench















"Sempre no Rock'n Roll, tocando pesado e bebendo vinho por muitas noites" (CaSch)   

CaSch é uma porrada! No peito!

O disco abre com a faixa "High Level", um Hard Rock pesado que qualquer fã do Motorhead ouviria no volume máximo.

Os irmãos Schevano Ricardo "Soneca" e Marcello (ambos do Carro Bomba) somaram suas composições com Rolando Castello Junior (Patrulha do Espaço) desde 2016. Foram dois anos compondo, produzindo e mixando. O lançamento saiu neste mês de agosto e possui todas as letras cantadas em inglês.

Entretanto não é álbum de Hard Rock. O repertório vai além e te faz viajar para os saudosos anos 70 com o som experimental e Rock Progressivo. Remete as influências de Rainbow, Black Sabbath e Supertramp, principalmente na música "God".

Um disco mais que recomendável! Ouça alto!

0

Asteróides Trio ao vivo no programa Distrito Brasil



Programa Distrito Brasil na Stay Rock Brazil: http://www.stayrockbrazil.com.br/  
Apresentação: Rogério Utrila
Gravado no Estúdio Electric Mars em Maio de 2018.

Setlist
01. O último dos moicanos
02. Garota de Saturno
03. Pelas Ruas
04. Verônica Biônica
05. Teddy, o primeiro da gangue a morrer
06. Tabaco, álcool, perfume barato
07. Nancy, vamos para casa 08. Twist Voodoo

0

Harmony Cats - Dois álbuns relançados em CD

                               Harmony Cats: Sylvia Cremona, Maria Amélia e Vivian Costa Manso - Foto: divulgação

Disco Music e Pop Rock foi sucesso nos anos 70 e 80 

O grupo viveu seu auge apresentando-se em programas como Cassino do Chacrinha, Geração 80, Fantástico, Barros de Alencar, Clube do Bolinha, Raul Gil, Sílvio Santos, Almoço com as Estrelas, entre outros. Fez turnês pelo Brasil e países como Estados Unidos e Canadá.





Lançado em 1982 (RGE)
Relançado em 2018 por Discobertas

Após álbuns de "medley" pela Som Livre nos anos 70, com esse álbum o trio vocal paulistano estreou na RGE sob a produção de Helio Costa Manso e com acompanhamentos da banda Os Carbonos.

O cantor Gilliard (marido de Sylvia Cremona) é o compositor de "O Sonho Acabou" e participa cantando no disco em "Eu Amo Você (M' Lnnamoro Di Te)".

Lançado em 1983 (RGE)
Relançado em 2018 por Discobertas

Segundo álbum do trio vocal paulistano na RGE, desta vez produzido por Luiz Carlos Maluly (ex-Lee Jackson) e com acompanhamentos da banda Os Carbonos e do tecladista Nico Rezende.

 Destaque para "Ela Dança", versão de "Maniac", música da trilha de Flashdance. O disco vem também com uma versão "Big Yellow Taxi" de  Joni Mitchell.













Veja também:


Gel Fernandes (baterista do Radio Taxi comenta a participação no álbum "Harmony Cats Show"












Gel Fernandes (baterista) - Entrevista #2 "Goodbye, Jovem Guarda / Hello, Hits Brasil"

0

Formadores de opinião iniciam uma comissão de novos projetos para o Rock paulista e o futuro da cultura



No último sábado (11/8) ocorreu no Memorial da América Latina (São Paulo, capital) um debate sobre o Rock de São Paulo, cultura e mercado. A pauta deste encontro fez parte do evento "Futuro na Cultura".

Estavam presentes na mesa músicos, produtores, fotógrafos, assessores de imprensa, jornalistas e radialistas. Todos formadores de opinião. O debate foi mediado por Gigi Jardim, atuante do projeto "Quem Sabe Faz Autoral".

Slide de Fotos

Comissão do Rock de SP e futuro da cultura


A iniciativa tem como objetivo expandir o Rock paulista para as programações culturais do Estado. Além da música, artistas plásticos, poetas, escritores e claro, novos talentos. Mas o que é o Rock paulista? É um "mosaico" formado por vários subgêneros do Rock (Hard Rock, Heavy Metal, Punk Rock, Indie Rock, Blues, e muitos outros estilos).

O Rock brasileiro esteve no auge nas décadas de 60 (Jovem Guarda e Tropicália) e 80 (BRock). Queremos ampliar esta "ideologia" para as próximas gerações e fazer muito mais, isto é, apresentar para a massa que a música brasileira é muito mais do que está sendo consumido e "estipulado" nas grandes mídias.

Estamos ainda no começo deste desafio e elaborando alguns projetos. Por enquanto divulgaremos esta nota!

A largada foi dada! Participe com suas idéias nos comentários abaixo. Compartilhe! Vamos desenvolver um grande trabalho juntos. Por que não?

Membros da comissão:
Gigi Jardim (projeto Quem Sabe Faz Autoral)
China Lee (banda Salário Mínimo)
Nelson Brito (banda Golpe de Estado)
Zé Brasil (banda Apokalypsis)
Paulinho Heavy (vocalista da banda Inox, produtor e apresentador do programa de webtv É Noize)
Cesar Gavin (diretor e apresentador do programa de webtv Vitrola Verde, produtor artístico do programa Canta Comigo (Record TV) e editor do site www.RockBrasileiro.Net)
Finho - Carlos Telhada (banda 365)
Tibet Queiroz (projeto Quem Sabe Faz Autoral, banda Ajna)
Sheila Telhada (produtora e assessora da Naturales Editora)
Cleide Soares (produtora artística e proprietária da Hamburgueria Rock & Beer)
Kalil Bentes (banda Old Toys)
Klaus Porlan (produtor)
Renato Menez (webradio StayRockBrazil)
Rogério Utrila (webradio StayRockBrazil)
Lincoln Baraccat (fotógrafo, banda Embluescetado)
Marquês (banda Marquês e jurado do programa Canta Comigo)
Edu Gomes (produtor, músico e compositor)
Valéria Gaspar (jornalista, assessora de imprensa)
Luiz Calanca (loja e gravadora Baratos & Afins)
Daniel Gerber (banda Power Blues)
Ricardo Ravache (banda Cozinha dos Infernos) 
Glauco Silva (professor de violão e guitarra na EMIA - Escola Municipal de Iniciação Artística de São Paulo)
Guilherme Bussing (produtor)
Gege - Geraldo Guimarães (produtor)
André Pomba (coordenador de fomentos e banda Vodu)
Guto Senatore (assessor da  Secretaria da Cultura do Estado)
Maria Thereza Ortale  (assessora da  Secretaria da Cultura do Estado)
Patricia Penna (secretária adjunta da Secretaria da Cultura do Estado)
Marcelo Soutullo (banda Opus Tenebrae)
Elias Pinheiro (Mundo Novo - ONG)

0

Vento Motivo - "Fogo e Lágrimas" / "Sonhos" (singles)


Singles antecipam novo álbum do Vento Motivo "Fogo e Lágrimas" / "Sonhos" já estão disponíveis nas redes  

Release: 
Romance, falta, sexo, desejo, ciúme, traição, saudade, perdão e resiliência… são alguns caminhos do labirinto sentimental que a banda Vento Motivo percorrerá em seu novo álbum, já batizado de Obras Cruéis, com lançamento previsto para o final do ano, pela ONErpm.

Até lá, a banda inicia uma sequência de lançamentos antecipando faixas do novo trabalho. Serão três singles com duas músicas cada, sempre uma autoral inédita, e uma releitura com o mesmo tema. 

O primeiro single da série é Fogo e Lágrimas / Sonhos, já disponível em todas as plataformas digitais. A primeira é uma composição inédita, e a segunda uma versão do clássico do Peninha com arranjo surpreendente que a transformou num rock personalíssimo. De acordo com o vocalista, guitarrista e compositor Fernando Ceah, ambas se complementam e falam de amor passional de forma poética, inspirada, intensa e verdadeira. “Aproveitamos a tônica das novas composições, que tratam basicamente de conflitos amorosos contando uma história rica em detalhes, sensações e poesia, pra regravar algumas músicas do cancioneiro brasileiro com a mesma temática, que eu sempre quis cantar na nossa pegada. Como temos bastante material inédito, achamos uma boa idéia soltar essas versões antes do álbum, sempre com uma das novas junto”, comenta.

Com 4 álbuns, um EP, e alguns singles lançados, a banda Vento Motivo é formada por Binho (bateria), Ivan Isoldi (baixo) e Fernando Ceah (voz e guitarra), e faz rock pop com forte ênfase nas letras desde 2003.
 
Vento Motivo Site oficial www.ventomotivo.com.br

Ouça os singles aqui.

Veja também:

Fernando Ceah (Vento Motivo) - Entrevista "Sol Entre Nuvens" (EP)

0

Titãs disponibiliza "ato I" da Ópera Rock "Doze Flores Amarelas"

Titãs - Foto: divulgação

Doze Flores Amarelas está sendo apresentado ao vivo num formato de espetáculo que mistura elementos de teatro, música e cinema e é dirigido por Hugo e Otávio Juliano. Rita Lee, mãe de Beto, narra a história, ligando as faixas.

A apresentação conta com a participação das atrizes Corina Sabbas, Cyntia Mendes e Yas Werneck. O cenário dos shows tem telas para a projeção de ambientes variados e simulações de postagens em redes sociais e foi montado por Olivia Branco.

O show foi filmado em 12 de maio de 2018 no Teatro Opus (São Paulo / SP).

Assista primeiro ato completo aqui.

0

Bluyus - #Rock (Álbum)

Bluyus - Foto: divulgação

O álbum #ROCK, gravado no estúdio Oversonic em São José dos Campos-SP, mixado por Fred Semensato, produtor do primeiro EP “Pés na Areia” e masterizado no estúdio PSP em Guarulhos-SP, foi lançado em novembro de 2017 com distribuição da ShowLivre em todas as plataformas digitais.

#ROCK conta com 12 músicas inéditas, as letras tratam de cicatrizes da alma e tentam passar um aprendizado através de sinceridade, honestidade e verdade. Além do rock internacional (Inglês e Americano) a banda Joseense é influenciada por artistas e bandas brasileiras de décadas passadas, como Rita Lee, Barão Vermelho, Raul Seixas, Titãs, Paralamas do Sucesso, Lobão, Ira! e outros dessa mesma linha.


No álbum, o trio Alex Bluyus (voz e guitarra), Euclides (baixo) e Ricardo (bateria) dividem espaço com alguns arranjos de teclados para dar uma encorpada e um colorido a mais em algumas músicas. Os solos de guitarra tem grande importância nas composições, sempre tratado com muito carinho, assim como as letras e riffs.

DVD “Todo Amor”, registrado durante show de lançamento do debut álbum “#ROCK” no teatro do Sesi São José dos Campos-SP no final de 2017, ainda será lançado oficialmente










Ouça o álbum na íntegra



Veja também

Bluyus ao vivo no programa Showlivre em 2017

0

Mattilha lança segundo álbum, ‘Crônicas do Underground’

 Mattilha - Foto: Anderson Ilmar / divulgação

Segundo disco do quarteto paulistano exalta a mistura única do hard rock com heavy metal, com letras em português

‘Crônicas do Underground’ é o caloroso e definitivo manifesto do Mattilha, que expõe paixões, sufocos, angústias, glórias e perseverança. O segundo álbum da carreira de intensos oito anos do quarteto paulistano, lançado nas principais plataformas digitais em parceria com o selo e produtora de Loudfactory, refina a amálgama do hard rock com o heavy metal, exaltado por meio de letras fortes sobre o próprio ofício na música e temas cotidianos, cantadas em português. Ouça aqui: https://ONErpm.lnk.to/Mattilha.   

Gabriel Martins (voz), Victor Guilherme Firmino (guitarra), Andrews "Andy" Einech (baixo), Ian Martini (bateria) estão, mesmo, afiados em ‘Contos do Underground’. São 9 faixas, algumas diretas e retas, outras com peso extra, além de baladas, no entanto, todas canções com jogo pujante entre baixo, bateria e guitarra.   

Com o famigerado – mas verdadeiro e suado – amadurecimento, o ataque do Mattilha em ‘ Crônicas do Underground’ é certeiro, reforçado em diversas músicas com integrantes de bandas que trilham juntos a rota do rock autoral independente.   

Fábio Laguna (Angra, Hangar) toca órgão em ‘Cachorro Louco’. Os amigos de longa data da Sioux 66 participam em ‘Sem Tempo Ruim’, que celebra uma parceria de mais de 5 anos. Já na balada ‘Pronto pra Rodar parte 2’ conta com a voz de Cyz Mendes, que ganhou destaque nacional no programa Canta Comigo, da Record, além de cantar no álbum ‘Ópera das 12 flores amarelas’, dos Titãs.   


“O álbum transmite o Mattilha da estrada nos últimos anos; que se dedica ao extremo, como espirito de banda grande, mesmo, para ser autêntico e relevante na cena do rock pesado brasileiro”, exalta o quarteto. É uma carreira que contabiliza quase 200 shows, passando por 7 estados e mais de 40 cidades diferentes. Os números na internet também são expressivos: 3.700 milhões de plays só no Spotify e no YouTube.   

‘Crônicas do Underground’ é o resultado de um processo criativo de quatro anos, gravado, produzido, mixado e masterizado nos estúdios Loudfactory e no Mr. Som Studio por Wagner Meirinho e Tiago Assolini. A concepção gráfica do álbum é assinada por Mauricio Leone, apostando na linguem HQ. A referência aos seriados do Netflix tem chamado bastante atenção sobre a identidade visual da banda.   







Álbum completo



SHOW DE LANÇAMENTO
 ‘O show de lançamento de ‘ Crônicas do Underground’ acontece dia 11 de agosto, em São Paulo, na quinta edição do próprio festival Canil Fest, no Olga 17 (Barra Funda), na companhia das bandas Sioux 66 e Forte Nortes.     

TOUR  
As primeiras datas da Crônicas do Underground Tour 2018 estão agendadas. Após o show de lançamento do álbum, o Mattilha toca em Santos (24/8) e depois Araucária/PR (8/9). O quarteto tem pela frente mais 10 shows, entre a capital paulista e o interior. Tem Mogi das Cruzes (14/9), Campinas (15/9), Ribeirão Preto (5/10), Araçatuba (6/10) e de volta a São Paulo no dia 11/10. A tour recomeça em Bauru (12/10), vai para Marília (19/10), São José do Rio Preto (27/10), mais uma vez São Paulo (21/10) e, até o momento, tem como show derradeiro o de Mococa (10/11). 

Para esta turnê, uma ausência. O baterista, compositor e membro fundador Ian vai passar alguns meses fora do Brasil a trabalho e, no lugar, a banda convocou um amigo de longa data que há anos já acompanha o Mattilha, Roger Katt. 

Veja também

Cyz Mendes cantando no programa Canta Comigo

0

Malabaristas de Semáforo mostra rock intenso e político em “Lado B”, álbum de estreia

Malabaristas de Semáforo - Foto: Laura Grisolia

O trio carioca Malabaristas de Semáforo mostra a potência de seu rock sem firulas e direto ao ponto no álbum de estreia, “Lado B”. O trabalho entrega uma banda já experiente pelos cinco anos de estrada, ao mesmo tempo que olha para o panorama atual e explora temáticas sociais, políticas e culturais. O disco, com 10 faixas e produção de Celo Oliveira, já está disponível nos principais serviços de streaming, em um lançamento do selo Caravela.

O título do álbum remete não apenas a um lado oposto, mas também ao espontâneo, autêntico e intrínseco. Estampando essa ideia na arte de capa, a banda aponta para o seu lado mais “alternativo”, não se limitando a pré-definições comerciais de indústrias fonográficas que, desde os LPs e cassetes, privilegia os singles e canções mais radiofônicas, em detrimento das demais. Nesse caso, o lado B é a verdadeira essência da Malabaristas de Semáforo.


“O conceito do álbum foi explorar nossa diversidade sonora, a sinceridade de composições simples, num paralelo a uma viagem de montanha russa - alternando momentos de tensão e adrenalina com momentos de calmaria e alívio, numa simultânea busca por reflexão através de letras secas e diretas”, define o vocalista, baixista e fundador da banda, Cleber ST.

Essa viagem começa pelo single “Tédio”, que tem em sua letra um jeito de tarde de domingo, em contraste com a sonoridade embalada pelo stoner rock. A canção foi a primeira do álbum a ganhar um vídeo. Em seguida, “Homem Invisível” aborda a sensação de não-pertencimento quando não se tem voz. Ela abre as portas para “Normose”, single mais recente que denuncia a inércia diante dos comportamentos ditados responsáveis por eliminar originalidade e individualidade. A faixa ganhou um lyric video que traz cenas de um cotidiano controlado.





"Tédio"



 Essa noção de manipulação e alienação segue em “Feno”, remetendo à domesticação, à letargia de quem se alimenta das mesmas fontes sem questioná-las. A única solução é “Vamos Pra Rua Lutar”, no espírito de decepção com o sistema e da vontade de virar o jogo. “Mais” traz a noção de que a ganância nos cega para as coisas livres e simples da vida. “Sua Sorte” promove a ideia de ser protagonista da sua própria jornada do herói, enquanto “Anônimo” desconstrói a importância do indivíduo diante da sociedade. “Pretérito Perfeito” é um olhar no espelho e o entendimento de que desistir não é uma opção, encerrando com “O que for”, aconteça o que acontecer.

 A Malabaristas de Semáforo surgiu em 2013, no subúrbio carioca. Passando por diversas formações até a atual, a banda busca provocar algum tipo de reflexão através de composições intensas que trazem protestos, ironia e pensamentos sobre a vida. Os múltiplos estilos - punk rock, pós punk, indie - valorizam ainda mais a guitarra, os riffs de baixo e a bateria sincopada.

 A sonoridade tem influências do punk e pós punk do fim dos anos 70 e 80 de grandes nomes como Joy Division, The Cure, Plebe Rude e Titãs. No indie rock, passeia com arranjos que lembram The Strokes, Bloc Party e Arctic Monkeys. A banda adiciona novos conceitos e influências ao seu rock sem rótulos, resultando num som singular, em constante metamorfose, suscetível a diversas interpretações.

Todo esse mix de originalidade ganhou prestígio em 2014, quando a banda disponibilizou 8 faixas no Soundcloud - músicas como “Wesley”, “Tédio”, “Futuro Presente”, “Multidão” e “Feno” obtiveram ótima repercussão do público. Três anos depois, o power trio lançou o primeiro EP “Malabas” (2017), que mostrou 4 canções de rock genuíno. O trabalho recebeu atenção da mídia, ganhando críticas positivas do jornalista Mauro Ferreira, do G1, em seu lançamento.

Formado por Fabrício Cardozo (bateria), Pedro Grisolia (guitarra) e Cleber ST (voz e baixo), o Malabaristas de Semáforo é a união de três novos talentos do rock brasileiro: o baterista incontrolável; o guitarrista prodígio e o músico e letrista inquieto por vocação.

0

Going To Brazil… The Brazilian Tribute To Motörhead' - CD


Secret Service Records, 2017

O tributo foi lançado em maio de 2017, em formato CD duplo, em uma luxuosa embalagem digipack, com encarte contendo fotos e informações das bandas participantes.

Saiba mais sobre o lançamento aqui.


Teaser - CD 1



Teaser CD2

0

O Rock balada nacional dá adeus a Guilherme Lamounier. Artista faleceu de pneumonia



Segundo o portal "O Dia", o carioca Guilherme Lamounier morreu ontem pela noite no Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, bairro onde morava

Aos 67 anos, tinha arritmia cardíaca e diabetes, e estava internado há 15 dias para tratar de uma pneumonia.

Rock balada dos anos 70

Em 2017, a gravadora Discobertas relançou o álbum homônimo de 1978 (Som Livre) que tinha seu mair sucesso, a balada "Seu Melhor Amigo", que posteriormente foi gravado por Fábio Jr. Destaque também para outra balada "Serenatas Perfumadas em Jasmim".

A família ainda não se pronuncio o local de enterro e velório.

Fica registrado aqui o memorial deste grande artista da música brasileira.




Marcelo Froes (Discobertas) lamenta a morte do guitarrista Guilherme Lamounier




Leiloca (Frenéticas) homenageia o amigo guitarrista Guilherme Lamounier




Rolando Castello Junior (Patrulha do Espaço) lamenta a morte do guitarrista Guilherme Lamounier




Jane Duboc lamenta a perda do amigo guitarrista Guilherme Lamounier

0

Erasmo Carlos + Emicida - "Termos e Condições" (videoclipe)


Erasmo Carlos mais romântico

A música "Termos e Condições" composta por Erasmo e Emicida faz parte do álbum "... amor é isso", lançado em junho deste ano. Um disco mais romântico do que os últimos três CDs lançados pelo "Tremendão", que tiveram um ritmo mais rock and roll.


"... amor é isso" tem  parcerias de Erasmo com Marisa Monte, Dadi Carvalho, Samuel Rosa Arnaldo Antunes, além de uma regravação de "Novo Love (New Love)" de Tim Maia lançada originalmente em 1973.

O disco trás também composições de Adriana Calcanhoto, Marcelo Camelo, Nando Reis e Teago Oliveira.






Videoclipe
"Termos e Condições"
Direção e ilustraçõe: Fabricio Lima




Ouça o disco

0

Oswaldo Vecchione (Made In Brazil) relata momentos tensos da ditadura militar no Brasil

Made In Brazil em 1977 - Foto: Acervo do artista

"revólveres na cara do meu pai, na minha mãe, na minha cara e do meu irmão" 

2018 - Época de eleições no Brasil e transição de cargos políticos, o líder da banda Made In Brazil, Oswaldo Vecchione relatou em sua rede social momentos tensos que passou com sua família, amigos e banda.

Que esta mensagem sirva de alerta para os eleitores! Veja nota postada no Facebook:

"No auge da Ditadura, no auge da perseguição contra as bandas de Rock na época, com bandas presas (Rita Lee & Tutty Fruti, Som Nosso de Cada Dia ) tivemos uma invasão em nossa casa na Rua Caraibas, com três investigadores do DEIC, da equipe do delegado Sergio Paranhos Fleury, enfiando os revólveres na cara do meu pai, na minha mãe, na minha cara e do meu irmão Celso às  6h30 da manhã. Ficaram revistando a casa e nos ameaçando até às 13h00. Tivemos depois teatro lacrado e equipamento e instrumentos presos e confiscados...



A ditadura e o governo , com essa atitude , queriam acabar com as bandas de Rock ( do verdadeiro Rock BR). Muitos músicos ficaram com medo de tocar no Made, em 1977, quando nosso repertório e disco foi censurado e proibido (Massacre), tivemos que trocar de músicos o ano todo, tendo muitos prejuízos, com shows cancelados e proibidos. Na verdade o Made quase parou, com tanto prejuízo e perseguição. Mas Deus nos ajudou, e colocou em nosso caminho amigos, músicos cantores talentosos que vieram tocar e cantar no Made, participando dos shows e gravando o disco "Massacre".

Aqui fica meus agradecimentos eternos a esses amigos geniais: Dudu Chermont, Tony Osanah, Wander Taffo, Tony Babalu, Juba, Caio Flávio, Rubens Nardo e outros... 

Numa época difícil, quando muitos músicos, não quiseram se envolver com o Made e com o Rock, essa turma veio vestir nossa camisa e caíram no na estrada com o MADE IN BRAZIL ...
OBRIGADO! ..." VOCÊ PENSA QUE TOCAR ROCK É MOLE! EU VOU LOGO DIZENDO, QUE NÃO É MOLE NÃO..."

( Música Uma banda Made in BRAZIL - disco Massacre &  Paulicéia) ..."




Vejam mais sobre a ditadura militar e censura no Brasil:




Charles Gavin - Entrevista: "Barra Lúcifer - Censura e o Rock brasileiro dos anos 70"





Percy Weiss - Entrevista: Made in Brazil: "Maquiagem, figurino e o censura" #03






Finho (365) - Entrevista #2: "1990 - Cenas de um novo país / M.M.D.C."





Rolando Castello Junior - Entrevista #3 "Patrulha do Espaço, Van Halen e Aeroblus"

0

List - EP "Translação" e videoclipe " "Ecos de uma alma solo"

List - foto: divulgação

Formada em 2011 através dos irmãos Mayson e Miguel, List é uma banda independente com a proposta de ser um grupo de rock autêntica, passeando pelos gêneros hardcore e alternativo.


Em 2017 gravaram seu primeiro EP denominado "Translação" com quatro faixas, tendo a participação especial dos gêmeos Keops e Raony (Medulla).

List vem se  apresentando no cenário underground na região de São Paulo,Vale do Paraíba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba.







Formação:
Mateus Borges - Guitarra
Leandro Morishita - Bateria
Mayson Wisdom - Vocal
Filipe Martins - Baixo

Videoclipe "Ecos de uma alma solo"




Veja também:

Quem é Mayson Wisdom?

Eu, Cesar Gavin, sou produtor artístico (produtor musical de TV) do programa Canta Comigo, exibido toda quarta-feira na Record. No mês de maio, junto com Marcelo Amiky (diretor do programa) e Blacy Gulfier (preparadora vocal) fizemos audições para os participantes do reality show que é sucesso na BBC inglesa e que teve a versão brasileira reproduzida recentemente.

Um dos destaques foi o cantor Mayson Wisdom (São José dos Campos / SP). Ele entrou no estúdio, um pouco tenso, porém sorridente! Respirou para se descontrair e assumiu o microfone. Discorreu sobre sua trajetória na música, sua banda, a List, e também como ele que faz para ganhar a vida: vender tênis! Sim, ele vende tênis e dedica o tempo livre para sua carreira artística.

Bastidores do Canta Comigo

Durante audição ele nos surpreendeu cantando "Olhos Coloridos" (Sandra de Sá); "Primavera" (Tim Maia) e "The Best Of You (Foo Figthers). Além da ótima voz e afinação, Mayson tem um carisma único. Além de estilo, felicidade e o melhor, a simplicidade. Ganhou! Foi aprovado! Resultado? Sucesso no Canta Comigo. Confira!

0

Tony Babalu ao vivo no Cine Olido (2018)

Tony Babalu - Foto: Bolívia e Cátia Rock 

03/08/2018 - Tony Babalu fez no Centro Cultural Olido o show de lançamento de seu novo disco instrumental, Live Sessions II (Amellis Records/Tratore). O álbum rendeu ao guitarrista o Troféu Cata-Vento 2017, prêmio idealizado pelo tarimbado produtor musical Solano Ribeiro e pela Rádio Cultura, e é composto de temas que passeiam pelas diversas vertentes entre a pegada do rock e o suingue do funk.   

Formação:
Tony Babalu (guitarra)
Adriano Augusto (teclados)
Leandro Gusman (baixo)
Percio Sapia (bateria)

Imagens: Ricardo Reginato




Veja também


Link: Fotos do show por Bolívia e Cátia Rock
0

Volkana ao vivo no Sesc Belenzinho (2018)


Foto: Leandro Almeida

Show no Sesc Belenzinho (São Paulo, SP) em 28/07/2018

Release do show:
A banda formada em Brasília, em 87, optou por cantar em inglês, seguindo o exemplo da banda Sepultura. Gravou seu primeiro álbum chamado First, em 90. O segundo álbum, Mindtrips, foi gravado em 94 e, dois anos depois, a banda terminou. A primeira formação era Mila Menezes (baixo), Karla Carneiro (guitarra), Ana (bateria) e Eliane Raye (vocal/guitarra). A segunda era Marielle Loyola (vocal) e Débora (bateria), vindas das bandas Detrito Federal e Arte no Escuro. Neste show, o grupo apresenta repertório na íntegra do primeiro álbum, e a formação atual é: Priscila Tiemi (baixo), Isa Nielsen e Karen Ramos (guitarras), Marielle Loyola (voz) e Sergio Facci (bateria).

Slide do fotos por Leandro Almeida

Show - Volkana - SESC Belenzinho - 28-07-2018

Imagens: Isa Nielsen




Veja também

Sergio Facci - Entrevista #1 "Quatro Vs e o Thrash Metal brasileiro"



Volkana - Ensaio aberto em 13/01/2018


0

Salário Mínimo - "Tempo" (videoclipe)


Salário Mínimo é uma banda de heavy metal e hard rock formada nos anos 80 na cidade de São Paulo, uma das pioneiras neste segmento. Participou da primeira versão da histórica coletânea "SP Metal" (Baratos Afins, 1984) com as músicas “Cabeça Metal” e “Delírio Estelar”.

Completando 36 anos carreira, o grupo divulga novo single / videoclipe.

Formação:
China Lee - voz
Júnior Muzilli - guitarra
Daniel Beretta - guitarra
Dieego Lessa - baixo
Marcelo Campos - bateria

"Tempo"
Direção, Edição e Finalização: Adriano Guerra




Veja também

 Luiz Calanca - Entrevista "40 anos da Baratos Afins e comenta do Salário Mínimo"

0

Juba (Blitz) - Entrevista #1 "A Pompéia e a paulicéia desvairada dos anos 70"


Juba e Cesar Gavin - Foto: Vitrola Verde

Programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)
Convidado: Juba, baterista da Blitz. Foi integrante das bandas Joelho de Porco, Made In Brazil,Fush, Rock Memory, Watt 69, Memphis e Tutti Frutti.

http://www.vitrolaverde.com.br

Entrevista #1 "A Pompéia e a paulicéia desvairada dos anos 70" 

0

Threesome - Dois discos + videoclipe


 Foto: Daniel Gonçalves

A Threesome é um quinteto de música autoral e original, esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referencias no blues, acid jazz e indie.

Formada em 2012 na cidade Capinas (SP) por Juh Leidl (vocal/guitarra), Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria).

O grupo já lançou dois álbuns independentes e no momento está em turnê divulgando o último disco. Juh Leidl entrou em 2017 no lugar do cantor Bruno Baptista e assumiu as vozes principais de algumas músicas.



CD "Get Naked"
Independente, 2014
Produzido por Threesome











EP "Keep On Naked"
Independente, 2017
Produzido por Maurício Cajueiro








"My Eyes" - videoclipe lançado em 2018





Juh Leidl faz parte dos jurados do reality show Canta Comigo da TV Record, exibido toda quarta, âs 22h30.


Juh Leidl e Cesar Gavin - bastidores do programa Canta Comigo


Veja musical do programa Canta Comigo com a cantora Cyz Mendes

0

Melyra lança single e lyric video "Dead Light"


Melyra - Foto: divulgação

Banda carioca de Heavy Metal completando seis anos de história, a banda Melyra, composta por Fe Schenker (guitarra/ backing vocals) Roberta Tesch (guitarra/ backing vocal), Nena Accioly (baixo/guturais) e Verônica Vox (voz), vem mostrando que metal está longe de ser só coisa de macho!

Influenciadas principalmente pelo heavy metal tradicional oitentista, sua música tem muita garra, atitude, técnica e peso fundidos com elementos de outros estilos que carregam na bagagem. As meninas fazem um som direto e sem frescuras que vem se destacando no underground carioca.

Atualmente, a banda trabalha na divulgação do single “Dead Light” gravado para seu novo álbum “Saving you from reality” a ser lançado em breve.







Além disso o grupo tem como lançamentos o EP “Catch me if you can”, de 2014 e uma versão para Living and Drifiting (Edu Falaschi) ambos muito bem recebidos pelos fãs e pela mídia especializada. As meninas preparam muitas novidades para o próximo semestre com foco em todo território nacional.









0

50 Anos do Rock brasileiro - Documentário



O documentário "50 Anos do Rock Brasileiro", idealizado pelo músico Marcelo Rossi, tem apoio do PROAC, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, e traz depoimentos de mais de 50 personalidades.

Release:
Após o sucesso de 50 anos do ROCK BRASILEIRO, os quatro (4) primeiros episódios que deram origem a nossa história, achamos que a saga deveria continuar, com outras histórias, outros músicos, artistas e personagens, mas agora , dentro de todas as épocas. Vamos falar agora com artistas de outras regiões do país, principalmente do Rio de Janeiro e do Sul do Brasil, que foram e continuam sendo, regiões riquíssimas de valores na história do ROCK BRASILEIRO.

Também reunimos outros artistas e bandas de São Paulo, que vão contar suas aventuras e peripécias neste mundo contagiante do rock and roll.

Parte um



Parte dois



Parte três



Parte quatro



Assista tudo no canal neste link: https://www.youtube.com/channel/UCSTkY6Ci_fmqyzB_k6kUPXw
0

Cantora Mamá Trindade se destaca em reality show "Canta Comigo" e lança seu primeiro single

Foto: divulgação

Mamá Trindade é compositora, atriz e cantora. Desde criança preferia ouvir os discos de Rock e Blues de seus pais do que assistir a desenhos animados na TV.

Ao longo de sua carreira, trabalhou para Walt Disney Company, Discovery Kids e sempre esteve envolvida em Projetos de teatro / teatro musical com o diretor José Possi Neto.

Influenciada por Amy Winehouse, Madonna, Elis Regina, Led Zeppelin e The Beatles, a cantora lançou nesta semana o seu primeiro single autoral, a faixa Pop Rock "Freedom", disponível nas plataformas digitais.

"Freedom"



A TV Record, exibiu ontem o segundo episódio do reality show "Canta Comigo" e teve a participação de Mamá Trindade. Durante a sua apresentação, ela comentou o problema de saúde que teve, perdendo todos os pelos do corpo.

A cantora levantou 77 jurados ao som de "This is Me", do filme O Rei do Show. Confira!

0

Tony Babalu apresenta "Live Sessions II" no Centro Cultural Olido

Foto: Karen Holtz

Guitarrista faz show do novo álbum na Sala Olido, com entrada franca

No dia 03 de agosto, às 19h, Tony Babalu faz no Centro Cultural Olido o show de lançamento de seu novo disco instrumental, Live Sessions II (Amellis Records/Tratore). O álbum rendeu ao guitarrista o Troféu Cata-Vento 2017, prêmio idealizado pelo tarimbado produtor musical Solano Ribeiro e pela Rádio Cultura, e é composto de temas que passeiam pelas diversas vertentes entre a pegada do rock e o suingue do funk.   

Com 70 minutos de duração e entrada franca, a apresentação traz performances das novas músicas, além de faixas de seu também elogiado CD anterior, “Live Sessions at Mosh” (2014, Amellis Records/Tratore). Na execução, Adriano Augusto (teclados), Leandro Gusman (baixo) e Percio Sapia (bateria) completam o time que explora os limites da improvisação e dinâmica, costurados por riffs e grooves marcantes, elementos obrigatórios no DNA da guitarra de Tony Babalu.   

O show Live Sessions II foi apresentado ao público pela primeira vez em 2017, no programa Instrumental Sesc Brasil (SescTV).
 


SOBRE TONY BABALU

Descrito pelo jornalista Okky de Souza como “o mais completo guitarrista brasileiro, capaz de brilhar em todos os gêneros ligados ao pop e de mergulhar fundo na herança inestimável dos ‘bluesmen’ que moldaram o som do final do século XX”, Tony Babalu desenvolveu um trabalho voltado à popularização da música instrumental, tornando-a  mais acessível e abrangente a partir de uma concepção harmônica pioneira, que deixa a cargo da instrumentação as linhas musicais que definem as melodias das composições, resultando em um espetáculo em que a música é a grande protagonista. 

SERVIÇO:   
O quê: Tony Babalu & Banda - Live Sessions II
Quando: 03/08/2018 (sexta-feira), às 19h00
Onde: Centro Cultural Olido (Sala Olido)
Endereço: Av. São João, 473 - Centro - São Paulo/SP
Duração: 70 min
Capacidade: 297 lugares
Ingressos: GRÁTIS (devem ser retirados com 1h de antecedência)
Informações: (11) 3397-0170

0

Juba (baterista da BLITZ) - Teaser



Programa Vitrola Verde
Direção, edição, pauta e apresentação: Cesar Gavin
Trilha Vitrola Verde: "Rock" (Mario Fabre)
Convidado: Juba, baterista da Blitz. Foi integrante das bandas Joelho de Porco, Made In Brazil,Fush, Rock Memory, Watt 69, Memphis e Tutti Frutti.
http://www.vitrolaverde.com.br
https://www.facebook.com/cesargavin

Teaser

0

Tibet (cantora do Ajna) recomenda o site www.RockBrasileiro.Net




Tibet (cantora do Ajna e produtora do projeto "Quem Sabe, Faz Autoral")
AJNA: http://ajnarockofficial.blogspot.com.br 
QUEM SABE, FAZ AUTORAL: http://quemsabefazautoral.blogspot.com/


0

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com